Logotipo
Contactos
Escola Secundária Júlio Dantas, Largo Prof Egas Moniz 8600-904 Lagos
282770997
Oferta formativa

Oferta Formativa

Consulte informações sobre a oferta formativa

Documentos

Documentos

Consulta e download de documentos e formulários.

Legislação

Legislação

Consulte a legislação em vigor

            

 

PLANO DE FORMAÇÃO 2023-2024

 

Pode consultar o Plano de Formação  AQUI

A seguinte ação de formação está ainda em processo de acreditação pelo CCPFC e poderá sofrer alterações/restrições dos destinatários previstos:
1761  Dança Criativa e Expressão Dramática na Educação. Parceria com a Biblioteca Municipal de Lagos Júlio Dantas / Câmara Municipal de Lagos

DIVULGAÇÃO

256

Modelação e Impressão 3D

ACD

 

6.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

A ação releva para a progressão na carreira docente, com 6 horas na dimensão científica e pedagógica de todos os grupos de docência. O que é a impressão 3D? A impressão 3D é uma área incontornável das nossas vidas em áreas tão diversas quanto o ensino, a saúde e a indústria. É uma tecnologia inovadora ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1801 Inscrições abertas até 25-02-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD8/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 26-02-2024

Fim: 04-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

Maria Helena de Jesus Luís Vieira

Mário Miguel Pereira Guedes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Enquadramento

A ação releva para a progressão na carreira docente, com 6 horas na dimensão científica e pedagógica de todos os grupos de docência. O que é a impressão 3D? A impressão 3D é uma área incontornável das nossas vidas em áreas tão diversas quanto o ensino, a saúde e a indústria. É uma tecnologia inovadora que consiste em imprimir objetos tridimensionais previamente desenhados num computador. Uma impressora 3D possibilita criar qualquer tipo de objeto. Na área educacional, por exemplo, é possível fazer diversos modelos em 3D de itens que são estudados nas mais variadas disciplinas, como Biologia, Geografia, Artes, entre outras. O domínio desta área é uma mais valia para os agentes educativos que formam os cidadãos que irão trabalhar nesses campos. Estar preparado para abrir horizontes aos nossos alunos é uma necessidade incontornável. A impressão 3D chegou à educação para oferecer novas oportunidades de aprimorar e desenvolver a bagagem de conhecimento na sala de aula. Com a impressora 3D, os alunos conseguem manusear e visualizar com mais facilidade o que os professores ensinam, na medida em que experimentam enquanto constroem. Trata-se de uma forma de fortalecer o conhecimento e ao mesmo tempo imprimir peças necessárias ao desenvolvimento humano e social, como por exemplo as próteses na medicina ou objetos para a educação especial. A aplicação desta tecnologia estimula o envolvimento no processo, a adaptação à mudança e a resolução de problemas por parte dos estudantes.

Objetivos

- Adquirir noções básicas de modelação e impressão 3D; - Conhecer quais as aplicações da impressão 3D no ensino, na ciência, engenharia e outras áreas; - Conhecer os principais parâmetros a definir nos fatiadores para impressões 3D; - Fazer configurações de impressões; - Fazer impressões 3D.

Conteúdos

- O que é a impressão 3D - Tipos de impressão 3D - Aplicações das impressões 3D - Fatiadores para impressão 3D - Impressões 3D

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Apresentação de software de modelação 3D e de software de impressão 3D (slicers/fatiadores) O que é a impressão 3D, exemplos de impressões, modalidades, áreas de implementação. Falhas mais comuns na impressão 3D – porquê e como resolver. Componente prática com base na seguinte metodologia: Nas atividades práticas, os formandos devem escolher um objeto para imprimir e usar um fatiador para fazer a configuração da impressão 3D. Serão escolhidos alguns modelos para fazer a impressão durante a sessão, de acordo com o tempo disponível para tal.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).

Bibliografia

SILVA, Francisco José Gomes et al. Impressão 3D – Tecnologias, materiais e aplicações. Engebook, 2023 RELVAS, Carlos Alberto Moura Relvas


Observações

FORMADORA: HELENA VIEIRA Licenciada em Matemática pela Universidade do Algarve, iniciou a carreira de docente em 1996. Para além das atividades didáticas, exerceu variadas funções de coordenação de estruturas pedagógicas, foi responsável e coordenadora de diversos projetos e promoveu vários concursos escolares. Considera-se uma pessoa versátil e criativa e tem verdadeira paixão pelo ensino e pela aprendizagem. Interessa-se por áreas muito diversificadas como tecnologias, ciências, fotografia, fotogrametria, impressão 3D, escultura, escrita, observação de aves, bricolage, música entre outras. Tem também uma forte consciência ambiental. Integrou a equipa do Centro Ciência Viva de Lagos (CCVL)entre setembro de 2018 e julho de 2022 onde, como atividade principal, desempenhou o cargo de professora coordenadora da Escola Ciência Viva. Desempenhou ainda outras atividades tais como comunicadora de ciência, responsável pela impressão 3D, professora de Atividades Extra Curriculares de Ciências Experimentais, acompanhamento de visitas às exposições permanentes e temporárias do CCVL, oficinas STE(A)M, participação em diversos projetos científicos e tecnológicos, entre outras. MÁRIO GUEDES Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Italianos. Mestre em Ciências da Educação, especialização em Informática Educacional. Formador acreditado pelo CCPFC em Didática de Português e Tecnologias Educativas. Professor do Quadro do Agrupamento de Escolas Gil Eanes (Gr 300 Português, a lecionar também italiano).

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 26-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial
2 04-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME
254

Músicas e danças do mundo: A interculturalidade em meio escolar
Os formandos devem levar roupa flexível e calçado confortável para a formação.

Oficina

 

50.0 horas

 

Presencial

 

Grupos 250, 260, 610, 620

Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

No contexto atual de multiculturalidade, e como a escola é um reflexo da diversificação cultural presente nas diferentes nacionalidades dos diversos alunos que a frequentam, torna-se importante que os professores sejam promotores do conhecimento artístico e cultural, não só das tradições nacionais, mas ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1781 Inscrições abertas até 25-02-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122564/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 27-02-2024

Fim: 07-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

Sidónio Manuel da Costa Oliveira

Destinatários

Grupos 250, 260, 610, 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Grupos 250, 260, 610, 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Grupos 250, 260, 610, 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Enquadramento

No contexto atual de multiculturalidade, e como a escola é um reflexo da diversificação cultural presente nas diferentes nacionalidades dos diversos alunos que a frequentam, torna-se importante que os professores sejam promotores do conhecimento artístico e cultural, não só das tradições nacionais, mas também do legado trazido pelos alunos que chegam a Portugal. 1. Para além de constatarmos uma preocupação assumida dos diferentes ciclos em frequentar ações de formação com cariz artístico, não só para os departamentos de expressão, mas também transversal aos currículos do ensino básico de outros departamentos, oferecendo oportunidades infindas no campo da interdisciplinaridade, da multiculturalidade, da transversalidade para diferentes grupos de recrutamento; 2. A presente ação de formação tem por base a missão de promover músicas e as respetivas danças, ícones da identidade e cultura de vários povos, contribuindo para o desenvolvimento da sua prática em contextos escolares; 3. Desta forma, esta ação de formação pretende proporcionar aos professores do 1º CEB, de Ed. Musical e Música, e de Ed. Física, o conhecimento prático e teórico de músicas e danças do mundo, e identificar a sua potencialidade na promoção e valorização de diferentes culturas nas escolas, capacitando os formandos com as ferramentas necessárias para o desenvolvimento de atividades tendo como base a música e cultura popular de diferentes países; 4. A dimensão lúdica de ensinar e aprender em grupo: ritmos, passos e coreografias, implica não só a importância de estimular a motricidade grossa (controlo corporal) e motricidade fina (movimentos de precisão) para a aprendizagem musical, reforçando o aprendido e consolidando a motivação para o novo aprender.

Objetivos

• Aproveitar a música como um meio para a interação e socialização; • Fornecer reportório adequado e interessante facilmente utilizável; • Saber várias danças de outras culturas musicais e usufruí-las de uma forma ativa; • Usar contextos lúdicos para uma prática musical informal e descontraída; • Explorar o uso do corpo humano através de danças e jogos musicais; • Desenvolver o gosto pelas atividades de Expressão e Educação Musical; • Promover a competência musical através do ritmo, da coordenação motora e da dança; • Promover atitudes de participação e cooperação em atividades musicais relacionadas com dança; • Desenvolver a memória auditiva; • Adquirir vivências e destreza em diferentes ritmos apresentados nas músicas e danças propostas; • Imitar coreografias referentes a qualquer estilo de música; • Jogar, brincar e dançar no coletivo; • O desenvolvimento de habilidades de movimento e jogos para promover a comunicação eficaz entre os pares e, portanto, expandir as habilidades sociais e estimula a imaginação. O revezamento e a escolha de parceiros em jogos e atividades de movimento desenvolve habilidades de disciplina e habilidades sociais.

Conteúdos

• Didáticas voltadas para as atividades de ritmo; • “O passo” – Forma base para exercícios de ritmo e percussão corporal; • Sílabas rítmicas baseadas em funções de tempo; • Leitura rítmica; • Ritmo, Harmonia e sincronicidade; • Danças de: par; quartetos; roda; tradicionais e folclóricas. • Realização de coreografias variadas; • Identificação auditiva de diferentes estilos de música; • Estratégias diversas de aprendizagem de ritmos musicais; • Batimentos rítmicos utilizando diferentes partes do corpo; • Exposição prática dos conteúdos; • Participação ativa dos formandos: Individual e em pequeno /grande grupo; • Apresentação de conteúdos teórico-práticos através formas lúdico-didáticas. A formação será dividida em 14 blocos de aproximadamente 3 hora cada. 7 blocos serão de trabalho autónomo por parte do formando e os outros 7 blocos onde o formador apresentará os diversos conteúdos e os formandos apresentarão os trabalhos solicitados pelo formador. Haverá ainda 2 blocos, de 4 horas cada, para a realização das avaliações e apresentação das música e danças à comunidade educativa. Músicas: Arábia Saudita – Tafta Hindi; Bavária – D’Hammerschmiedgselln; Flandres – Ungaresca - estilo Carole/Farandole (medieval); Israel – Dodi Li; Inglaterra – The Blaydon Races; México – La raspa; Bulgaria – Elenke; Dinamarca – Shoemaker's Dance; Túrquia – Harmandali Zeybek; Grécia – Zorba’s Dance; França – Bergerette sans Roch - estilo Basse Dance (medieval); França – Mon Desir - estilo Basse Dance (medieval); Alemanha – Branle Double - estilo Almaine, Trotto, Saltarello Todesco, ou Allemande; Italia – Tarantella Napoletana; Rússia – Casatschok; Turquia – Üsküdar a gider iken - Katibim; Japão – Omochio Tsukimascho;

Metodologias

A oficina terá a duração de 25 horas presenciais e três etapas fundamentais: 1. Uma componente presencial conjunta, onde serão explorados os conteúdos teórico-práticos e a orientação para implementação de metodologias e/ou materiais pedagógicos das diferentes músicas e relativas danças. (21 horas presenciais) 2. Uma componente de trabalho autónomo dos formandos, individualmente ou em grupo (25 Horas autónomas) para: • Construção de materiais pedagógicos (10 horas e 30 minutos); • Preparação dos materiais para apresentação à turma (10 horas e 30 minutos); • Elaboração do relatório crítico: autoavaliação do trabalho realizado e sua importância no desenvolvimento dos alunos e na melhoria das aprendizagens (4 horas). 3. A oficina terminará com a apresentação das músicas e danças à comunidade educativa, na última sessão presencial conjunta. (4 horas presenciais – 2 horas para preparação do evento e ensaio geral; 2 horas para apresentação das música e danças ao público).

Avaliação

• Observação direta dos formandos tendo em conta o seu interesse e participação nas atividades propostas; • Elaboração de um trabalho prático sobre um tema fornecido pelo formador. Os participantes procedem à apresentação de um relatório crítico sobre o trabalho desenvolvido e sua importância na motivação, na melhoria das aprendizagens e no desenvolvimento global dos alunos. Avaliação final do formando: - Ponderações: 50% participação nas sessões, 25% para os trabalhos desenvolvidos e relatório final do formando e 25% para a apresentação em público das música e danças; - Na avaliação dos/as formandos/as será dado cumprimento às determinações legais, nomeadamente os nºs 1 a 4 e 7 a 9 do artigo 4º do Despacho nº 4595/2015 do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, publicado no Diário da República, 2ª Série, Nº 87, de 6 de maio, e ao Regulamento para acreditação e creditação de ações de formação contínua, de 9 de maio de 2016, do CCPFC. A avaliação é formalizada numa escala de 1 a 10 com a menção qualitativa de: • 1 a 4,9 valores – Insuficiente • 5 a 6,4 valores – Regular • 6,5 a 7,9 valores – Bom • 8 a 8,9 valores – Muito Bom • 9 a 10 valores – Excelente

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Ciavatta, L. (2012) O Passo: música e educação. Rio de Janeiro: Edição do autor. Naranjo, F. J. R. (2008). Percusión corporal en diferentes culturas. Música y Educación, 76, 46-96. Wuytack, J., e Palheiros, G. B. (2013). Pedagogia musical (Vol. 1). Porto: Associação Wuytack de Pedagogia Musical. Wuytack, J., e Palheiros, G. B. (2014). Pedagogia musical (Vol. 2). Porto: Associação Wuytack de Pedagogia Musical. Wuytack, J., e Palheiros, G. B. (2015). Pedagogia musical (Vol. 3). Porto: Associação Wuytack de Pedagogia Musical.


Observações

FORMADOR: SIDÓNIO OLIVEIRA Aluno do Doutoramento em Estudos da Criança na Especialidade de Educação Artística – Educação Musical no Instituto de Educação da Universidade do Minho, obteve a licenciatura em Música na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança, sendo o melhor aluno finalista no ano letivo 2011/2012, concluindo na mesma instituição, o Mestrado em Ensino de Educação Musical no Ensino Básico no ano letivo 2013/2014, permanecendo como assistente convidado até ao ano letivo de 2021/2022, lecionando Expressão Musical e Didática das Expressões na Educação Básica na Licenciatura em Educação Básico, Oficina de Animação Musical na Licenciatura em Educação Social; Animação Musical, Culturas Musicais em Contexto e Cultura Musical na Licenciatura em Animação e Produção Artística; Laboratório de Música e Direção de Eventos Musicais no Curso Técnico Superior Profissional em Produção nas Artes do Espetáculo; Projeto de Etnomusicologia no Curso Técnico Superior Profissional em Músico Instrumentista; e História da Cultura das Artes na Escola Profissional de Arte de Mirandela. Lecionou Educação Musical em Escolas do 1º, 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico em Albufeira, Arouca, Bragança, Estarreja, Ílhavo, Torre de Moncorvo e Vimioso. Atualmente leciona Música na EB Tecnopolis de Lagos. Concluiu com aproveitamento a ação de Formação Contínua com a designação “Educação Artística - Recursos Educativos em Música para Formadores", com o n° de acreditação CCPFC/ACC-112993/21, na modalidade de Curso de Formação, que decorreu de 27/11/2021 a 04/12/2021, em Lisboa, com a duração de 12 horas, tendo obtido a avaliação de Excelente - 10 valores (escala de avaliação quantitativa de 1 a 10). COLABORAÇÃO: BRUNO RICARDO COSTA FLORINDO Professor de Artes Visuais. Licenciado em Arquitectura. Especializado em Educação Especial. Mestre em Artes Visuais na Educação, com currículo relevante em História da Arte. Aluno de Doutoramento em Educação.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 27-02-2024 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Presencial
2 05-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
3 12-03-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Presencial
4 09-04-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 16-04-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
6 23-04-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
7 30-04-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Presencial
8 07-05-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

254
258

A diversidade cultural em contextos educativos
Professores de todos os ciclos de ensino.

ACD

 

3.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária Júlio Dantas- Lagos

Esta ACD releva para a progressão na carreira docente, com 3 horas na dimensão científica e pedagógica. Esta ação de formação de curta duração nasceu da iniciativa do professor José Carlos Costa, no quadro da ASPnet Unesco - Escolas Associadas da Unesco, de que o CFAE Rui Grácio é membro. A ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1821 Inscrições abertas até 27-02-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD10/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 28-02-2024

Fim: 28-02-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas- Lagos

Formador

José Carlos Pinto da Costa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Enquadramento

Esta ACD releva para a progressão na carreira docente, com 3 horas na dimensão científica e pedagógica. Esta ação de formação de curta duração nasceu da iniciativa do professor José Carlos Costa, no quadro da ASPnet Unesco - Escolas Associadas da Unesco, de que o CFAE Rui Grácio é membro. A população estudantil em Portugal tem vindo a tornar-se cada vez mais diversa. Exercendo a sua função em escolas localizadas numa das regiões do país que mais alunos estrangeiros acolhe, e em que as relações interculturais são particularmente dinâmicas, os docentes que lecionam na região do Algarve sentem a necessidade de adequar as suas estratégias e os seus métodos pedagógicos de forma a promover a inclusão cultural de todos os alunos. Esta promoção parte de uma análise crítica do papel da escola na construção do currículo, no contexto da crescente autonomia que lhe é reconhecida como via para a promoção de um ambiente escolar inclusivo, e dos objetivos das estratégias pedagógicas desenhadas e adotadas pelos docentes. Neste sentido, a ação procura promover uma reflexão abrangente sobre o papel dos professores para a inclusão cultural dos alunos, sensibilizando estes para a adequação das suas estratégias pedagógicas à diversidade cultural da população estudantil. Este propósito segue as recomendações do Plano Nacional de Promoção do Sucesso Escolar e a necessidade identificada na Declaração Universal dos Direitos Humanos, segundo a qual, todas as pessoas têm direito ao acesso a educação e a formação de qualidade que respeite a sua identidade cultural. Isto implica que as escolas devem estar preparadas para lidar com a diversidade cultural e linguística dos estudantes promovendo um ambiente de aprendizagem culturalmente inclusivo. Para isso, os professores devem estar capacitados para lidar com essas diferenças – propósito para o qual a presente ação de formação pretende contribuir.

Objetivos

Geral: Promover a valorização da diversidade cultural em contextos educativos Específicos: • Analisar a diversidade cultural dos alunos na região do Algarve; • Compreender a noção de cultura e sua influência na educação; • Promover currículos culturalmente inclusivos; • Explorar sugestões didáticas e pedagógicas para promover a valorização da diversidade cultural; • Desenvolver competências culturais para lidar com as diferenças culturais em contextos educativos.

Conteúdos

1. O contexto • Portugal multicultural • Alunos estrangeiros em Portugal • Alunos estrangeiros na região do Algarve • A diversidade cultural como património universal • A educação e a diversidade cultural • A diversidade cultural no sistema de ensino português 2. Cultura • O que é a cultura? • Estrutura/Agência • A reprodução cultural (manutenção da ordem e conservação social) • Fontes da identidade cultural 3. Cultura e educação • A interconectividade dos ambientes • A escola como autoridade da ação pedagógica • A escola – estrutura estruturante estruturada • Procusteanismo e tokenismo 4. A educação multicultural • Um modelo para a interação intercultural • Projeto INDIE (Inclusion and Diversity in Education) 5. Currículo culturalmente inclusivo • Reflexão sobre o currículo • Reflexão sobre a estratégia pedagógica • Reflexão sobre a minha prática pedagógica • Uma pedagogia culturalmente responsável e relevante 6. Competência cultural • Um modelo de desenvolvimento da sensibilidade intercultural • Modelo de competência intercultural • Projeto COOPERA-Escola+21-23 Conclusões • Princípios essenciais para ensinar e aprender numa sociedade multicultural • Competências culturais específicas

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Exposição (2 horas): apresentação teórica do contexto e dos conceitos de cultura, diversidade cultural dos alunos no Algarve, currículos culturalmente inclusivos e sugestões didáticas para promover a valorização da diversidade cultural. Visualização de casos práticos. Componente prática com base na seguinte metodologia (1 hora): - Realização de tarefa (35 minutos): os participantes serão divididos em grupos. Aos formandos é pedida a elaboração de um plano de aula culturalmente inclusivo para uma disciplina específica, considerando a diversidade cultural dos alunos num contexto educativo do Algarve. Cada grupo pode escolher uma disciplina para elaborar o plano de aula, considerando a diversidade cultural dos alunos e utilizando as sugestões didáticas apresentadas durante a formação. Cada plano de aula deve contemplar estratégias para valorizar as diferentes culturas presentes na sala de aula, promover a inclusão e garantir que todos os alunos possam aprender de forma significativa. - No final, os grupos podem apresentar os seus planos de aula e discutir as estratégias propostas, compartilhando ideias e sugestões para promover uma educação culturalmente inclusiva (25 minutos). Recursos: - Apresentação de diapositivos (definição de conceitos e apresentação de casos); - Visualização de vídeos sobre boas práticas de inclusão da diversidade cultural nas escolas; - Plataforma para registo das produções dos formandos.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Modelo

A ação será avaliada mediante um questionário online a preencher pelos formandos.

Bibliografia

Bednall, J., Fell, S. & Culora, N. (s/d). Developing a Culturally Inclusive Curriculum. The United Kingdom Literacy Association. https://ukla.org/ukla_resources/developing-a-culturally-inclusive-curriculum/ Bourdieu, P. & Passeron (1970). La reproduction: Éléments pour une théorie du système d'enseignement. Paris: Les éditions de Minuit. Cushner. K, McClelland, A. & Safford, P. (2012). Human Diversity in Education: An Intercultural Approach. New York: McGraw-Hill. UNESCO (2001). Universal Declaration on Cultural Diversity. https://www.ohchr.org/en/instruments-mechanisms/instruments/universal-declaration-cultural-diversity UNESCO-International Bureau of Education (2021). REACHING OUT TO ALL LEARNERS: a resource pack for supporting inclusion and equity in education. https://www.ibe.unesco.org/en/news/reaching-out-all-learners-resource-pack-supporting-inclusion-and-equity-education


Observações

FORMADOR: JOSÉ COSTA José Costa possui doutoramento em antropologia desde 2011. Na sua prática, divide-se entre a investigação e a docência. Na investigação, colabora com o Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA), relacionado à Universidade Nova de Lisboa (NOVA), e com o Centro Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória (CITCEM), da Universidade do Porto. Coordena um grupo de investigação multidisciplinar sobre antropologia médica na NOVA e participa em várias equipas internacionais no âmbito de ações e projetos da European Cooperation in Science and Technology (COST), relacionada à Comissão Europeia. Com profunda formação na área da interculturalidade, José Costa tem produzido e comunicado extensamente sobre a importância da diversidade cultural nas interações entre as instituições dominantes e as populações oriundas de diferentes países e culturas. Na docência, lecionou em várias instituições do ensino superior e não superior. Encontra-se a lecionar as disciplinas de História e Geografia de Portugal e Português no Agrupamento de Escolas de Silves. É formador convidado do Centro de Formação Dr. Rui Grácio (Lagos, Aljezur e Vila do Bispo).

Esta ACD releva para a progressão na carreira docente, com 3 horas na dimensão científica e pedagógica.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME
264

Formação inicial em Scratch para Professores de Matemática
Professores do 230 e 500

ACD

 

6.0 horas

 

Presencial

 

Professores dos grupos 230 e 500.

Escola Básica Tecnopolis - Lagos

Necessidade de formação no âmbito das capacidades dos professores de Matemática, no desenvolvimento do pensamento computacional, com recurso ao software de programação visual Scratch. A ação releva na Dimensão Científica e Pedagógica dos grupos de docência 230 e 500.
Ler mais Ler menos

Ref. 1881 Inscrições abertas até 03-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD14/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 04-03-2024

Fim: 11-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Básica Tecnopolis - Lagos

Formador

Nuno Miguel António Marreiros

Destinatários

Professores dos grupos 230 e 500.

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Enquadramento

Necessidade de formação no âmbito das capacidades dos professores de Matemática, no desenvolvimento do pensamento computacional, com recurso ao software de programação visual Scratch. A ação releva na Dimensão Científica e Pedagógica dos grupos de docência 230 e 500.

Objetivos

O objetivo da presente ação visa uma formação inicial em Scratch e a criação de programas para introduzir ou consolidar conhecimentos matemáticos.

Conteúdos

Apresentação dos objetivos da ação. Apresentação, iniciação de programação em Scratch. Atividades matemáticas com recurso ao Scratch.

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Exposição dos conteúdos seguido de exemplos práticos. Componente prática com base na seguinte metodologia: Lançamento de tarefas e desafios para resolução individual, em pequeno grupo e/ou em grande grupo.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).


Observações

FORMADOR NUNO MARREIROS Licenciatura em Matemática – Ramo de Formação Educacional. Pós-graduação em Gestão de Informação nas Organizações. Mestrado em Ensino de Matemática no 3.º ciclo do Ensino Básico e no Secundário.

A ação releva na Dimensão Científica e Pedagógica dos grupos de docência 230 e 500.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-03-2024 (Segunda-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial
2 11-03-2024 (Segunda-feira) 16:30 - 19:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME
250

Educação Inclusiva II - Perspetivas de Desenvolvimento

ACD

 

3.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1751 Inscrições abertas até 01-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD7/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-03-2024

Fim: 12-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

Violante Maria Mira Ferreira Romão

Luísa Margarida Parreira do Nascimento Baptista

Marília Alexandra Machado Dias

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Enquadramento

O enquadramento legal da educação inclusiva e as orientações sobre a recuperação das aprendizagens constituem um enorme desafio para novas práticas inclusivas em sala de aula, bem como novas metodologias que promovam as aprendizagens de todos os alunos. Assim, há que criar ambientes seguros e estimulantes nas escolas para que o diálogo, a reflexão e a partilha facilitem o caminho e orientem todos os agentes educativos para as mudanças a realizar. Esta ação de formação procura contribuir para uma reflexão crítica sobre os desafios da diversidade com base na equidade. A presente ação insere-se no processo de concretização do Projeto Educação Inclusiva 21-23 e do plano integrado para a recuperação das aprendizagens dos alunos do ensino básico e secundário, Plano 21|23 Escola+.

Objetivos

- Enquadrar a atual política de inclusão e de apoio à prática letiva de forma integrada; - Refletir sobre os modelos de enquadramento e operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais. - Incentivar ao desenvolvimento de competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas.

Conteúdos

- Orientações da política educativa nas práticas pedagógicas; - Modelos de enquadramento e operacionalização da educação inclusiva; - Trabalho colaborativo/reflexivo.

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Nesta formação, em regime de frequência e-learning, serão abordados os conteúdos recorrendo a metodologia reflexiva. Será privilegiado o trabalho em grande grupo com momentos de reflexão e de discussão alargada. Componente prática com base na seguinte metodologia: Partilha de Práticas com publicações no Padlet da formação.

Avaliação

Autoavaliação: breve comentário escrito online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (comentário incluído no questionário online de avaliação da ação de formação).

Modelo

Questionário online de avaliação da ação de formação, a preencher pelos formandos (obrigatório).


Observações

FORMADORAS: MARÍLIA DIAS LICENCIATURA: Ensino Básico 1º Ciclo PÓS-GRADUAÇÃO OU ESPECIALIZAÇÃO: Administração Escolar, Educação Especial – Domínio Cognitivo e Motor; Avaliação de Desempenho Docente. MESTRADO: Supervisão Pedagógica DOUTORAMENTO: Ciências da Educação – Observação e Análise da Relação Educativa Professora desde 1999 em Ensino Básico, 1º Ciclo/ Educação Especial/Pief; Coordenadora de Departamento 1º Ciclo/Educação Especial; Coordenadora Pedagógica curso PIEF; Coordenadora de Projetos; Membro da Equipa Multidisciplinar, Representante da Autonomia e Flexibilidade Curricular do CFAE Albufeira, Lagoa, Silves. Formadora em várias áreas da educação. MARGARIDA BATISTA LICENCIATURA: Supervisão Pedagógica e Formação de Formadores PÓS-GRADUAÇÃO OU ESPECIALIZAÇÃO: Ciências da Educação variante em Supervisão Pedagógica Diploma de Estudos Avançados; Conclusão do período de docência dos estudos universitários do terceiro ciclo do Programa de Doutoramento em Didática e Organização de Instituições Educativas; Bacharelato para o exercício do Magistério. Professora desde 1987 do 1ºciclo, presidente da assembleia de escola, coordenadora do centro de formação Agostinho da Silva da Região Sul; formadora residente do PNEP (programa nacional de ensino do português); coordenadora de departamento; adjunta da direção, desde julho de 2013 até agosto de 2019, no Agrupamento de Escolas Poeta António Aleixo; Coordenadora da equipa EMAEI no ano letivo 2018/2019; embaixadora digital e Assessora CFAE de Portimão e Monchique ano letivo 2020/2021; representante da autonomia e flexibilidade curricular do CFAE Portimão e Monchique; formadora acreditada pelo CCPFC desde 2002, em Didáticas Específicas, Supervisão Pedagógica e Educação Inclusiva. VIOLANTE ROMÃO LICENCIATURA EM ENSINO – Variante de Educação Visual, ESEB, 1991 PÓS-GRADUAÇÃO OU ESPECIALIZAÇÃO: Magister em Creatividade Aplicada, USC, 2001 Professora desde 1991 de Educação Visual e Educação Tecnológica; Coordenadora de Departamento (AEGE); Elemento da Comissão Pedagógica do CFAE Dr. Rui Grácio; Representante da Autonomia e Flexibilidade Curricular do CFAE Rui Grácio; Formadora acreditada pelo CCPFC desde 2000 em Animação de Grupos; Didáticas Específicas; Inovação Educacional; Investigação-Ação e Criatividade; em Educação Inclusiva (2023).

A ação releva para progressão na carreira docente, com 3 horas na dimensão científica e pedagógica de todos os grupos de docência. Despacho n.º 5741/2015, de 29 de Maio

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-03-2024 (Terça-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME
263

Músicas e Danças do Mundo

ACD

 

3.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

A ação releva para a progressão na carreira docente, com 3 horas na dimensão científica e pedagógica de todos os grupos de docência. No contexto actual de multiculturalidade, e como a escola é um reflexo da diversificação cultural presente nas diferentes nacionalidades dos diversos alunos que a ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1871 Inscrições abertas até 12-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD13/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 13-03-2024

Fim: 13-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

Sidónio Manuel da Costa Oliveira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Enquadramento

A ação releva para a progressão na carreira docente, com 3 horas na dimensão científica e pedagógica de todos os grupos de docência. No contexto actual de multiculturalidade, e como a escola é um reflexo da diversificação cultural presente nas diferentes nacionalidades dos diversos alunos que a frequentam, torna-se importante que os professores sejam promotores do conhecimento artístico e cultural, não só das tradições nacionais, mas também do legado trazido pelos alunos que chegam a Portugal. 1. Para além de constatarmos uma preocupação assumida dos diferentes ciclos em frequentar ações de formação com cariz artístico, não só para os departamentos de expressão, mas também transversal aos currículos do ensino básico de outros departamentos, oferecendo oportunidades infindas no campo da interdisciplinaridade, da multiculturalidade, da transversalidade para diferentes grupos de recrutamento; 2. A presente ação de formação tem por base a missão de promover músicas e as respetivas danças, ícones da identidade e cultura de vários povos, contribuindo para o desenvolvimento da sua prática em contextos escolares; 3. A dimensão lúdica de ensinar e aprender em grupo: ritmos, passos e coreografias, implica não só a importância de estimular a motricidade grossa (controlo corporal) e motricidade fina (movimentos de precisão) para a aprendizagem musical, reforçando o aprendido e consolidando a motivação para o novo aprender.

Objetivos

• Aproveitar a música como um meio para a interação e socialização.; • Usar contextos lúdicos para uma prática musical informal e descontraída; • Explorar o uso do corpo humano através de danças e jogos musicais; • Desenvolver o gosto pelas atividades de Expressão e Educação Musical; • Promover atitudes de participação e cooperação em atividades musicais relacionadas com dança; • Adquirir vivências e destreza em diferentes ritmos apresentados nas músicas e danças propostas; • Imitar coreografias referentes a qualquer estilo de música; • Jogar, brincar e dançar no coletivo; • O desenvolvimento de habilidades de movimento e jogos para promover a comunicação eficaz entre os pares e, portanto, expandir as habilidades sociais e estimula a imaginação. O revezamento e a escolha de parceiros em jogos e atividades de movimento desenvolve habilidades de disciplina e habilidades sociais.

Conteúdos

Didácticas voltadas para as actividades de ritmo; • “O passo” – Forma base para exercícios de ritmo e percussão corporal; • Ritmo, Harmonia e sincronicidade; • Danças de: par; roda; tradicionais e folclóricas. • Realização de coreografias variadas; • Identificação auditiva de diferentes estilos de música; • Batimentos rítmicos utilizando diferentes partes do corpo; • Exposição prática dos conteúdos; • Participação ativa dos formandos: Individual e em pequeno /grande grupo; • Apresentação de conteúdos teórico-práticos através formas lúdico-didáticas. A formação terá aproximadamente um bloco de 3 horas. Músicas: Bavária – D’Hammerschmiedgselln; Flandres – Ungaresca - estilo Carole/Farandole (medieval); Portugal – Erva Cidreira; Turquia – Üsküdar a gider iken - Katibim;

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: - O formador terá um papel facilitador, promovendo a reflexão sobre os temas e orientando os formandos no tratamento das questões de ordem teórica sobre os temas/ conteúdos apresentados. - Será promovida a partilha de reflexões e esclarecimento de dúvidas. Componente prática com base na seguinte metodologia: - Serão desenvolvidos vários exercícios de respiração, concentração e meditação. - Será promovida a partilha sobre as experiências em relação a esses exercícios. - o formador ficará disponível para o acompanhamento dos formandos quando estiverem a a aplicar os exercícios nas salas de aula.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).

Bibliografia

Ciavatta, L. (2012) O Passo: música e educação. Rio de Janeiro: Edição do autor. Naranjo, F. J. R. (2008). Percusión corporal en diferentes culturas. Música y Educación, 76, 46-96. Wuytack, J., e Palheiros, G. B. (2013). Pedagogia musical (Vol. 1). Porto: Associação Wuytack de Pedagogia Musical. Wuytack, J., e Palheiros, G. B. (2014). Pedagogia musical (Vol. 2). Porto: Associação Wuytack de Pedagogia Musical. Wuytack, J., e Palheiros, G. B. (2015). Pedagogia musical (Vol. 3). Porto: Associação Wuytack de Pedagogia Musical.


Observações

FORMADOR: SIDÓNIO OLIVEIRA Aluno do Doutoramento em Estudos da Criança na Especialidade de Educação Artística – Educação Musical no Instituto de Educação da Universidade do Minho, obteve a licenciatura em Música na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança, sendo o melhor aluno finalista no ano letivo 2011/2012, concluindo na mesma instituição, o Mestrado em Ensino de Educação Musical no Ensino Básico no ano letivo 2013/2014, permanecendo como assistente convidado até ao ano letivo de 2021/2022, lecionando Expressão Musical e Didática das Expressões na Educação Básica na Licenciatura em Educação Básico, Oficina de Animação Musical na Licenciatura em Educação Social; Animação Musical, Culturas Musicais em Contexto e Cultura Musical na Licenciatura em Animação e Produção Artística; Laboratório de Música e Direção de Eventos Musicais no Curso Técnico Superior Profissional em Produção nas Artes do Espetáculo; Projeto de Etnomusicologia no Curso Técnico Superior Profissional em Músico Instrumentista; e História da Cultura das Artes na Escola Profissional de Arte de Mirandela. Lecionou Educação Musical em Escolas do 1º, 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico em Albufeira, Arouca, Bragança, Estarreja, Ílhavo, Torre de Moncorvo e Vimioso. Atualmente leciona Música na EB Tecnopolis de Lagos. Concluiu com aproveitamento a ação de Formação Contínua com a designação “Educação Artística - Recursos Educativos em Música para Formadores", com o n° de acreditação CCPFC/ACC-112993/21, na modalidade de Curso de Formação, que decorreu de 27/11/2021 a 04/12/2021, em Lisboa, com a duração de 12 horas, tendo obtido a avaliação de Excelente - 10 valores (escala de avaliação quantitativa de 1 a 10).

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 13-03-2024 (Quarta-feira) 16:00 - 19:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME
266

DE QUE GÉNERO É ESTE LIVRO?
Professores, Pessoal Não Docente das Bibliotecas Escolares e Técnicos Especializados das escolas.

ACD

 

5.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial; Pessoal Não Docente das bibliotecas escolares; Técnicos Especializados.

Biblioteca Municipal de Lagos - Júlio Dantas

A ação releva para a progressão na carreira docente, com 6 horas na dimensão científica e pedagógica de todos os grupos de docência. A ação também se destina ao Pessoal Não Docente em serviço nas Bibliotecas escolares e técnicos especializados: psicólogos, sociólogos, terapeutas a trabalhar nas escolas, ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1901 Inscrições abertas até 15-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD16/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 16-03-2024

Fim: 16-03-2024

Regime: Presencial

Local: Biblioteca Municipal de Lagos - Júlio Dantas

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial; Pessoal Não Docente das bibliotecas escolares; Técnicos Especializados.

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Biblioteca Municipal de Lagos – Júlio Dantas / Câmara Municipal de Lagos, em parceria com o Centro de Formação Dr. Rui Grácio.

Enquadramento

A ação releva para a progressão na carreira docente, com 6 horas na dimensão científica e pedagógica de todos os grupos de docência. A ação também se destina ao Pessoal Não Docente em serviço nas Bibliotecas escolares e técnicos especializados: psicólogos, sociólogos, terapeutas a trabalhar nas escolas, interessados na mediação da leitura. Esta ação de formação de curta duração é da iniciativa da Biblioteca Municipal de Lagos Júlio Dantas / Câmara Municipal de Lagos, em parceria com o Centro de Formação Dr. Rui Grácio. A cartografia dos livros infantis com ilustrações contemporâneos é incrivelmente rica na diversidade das propostas que oferece e na relação sociocultural contemporânea. Do ponto de vista artístico, várias linguagens se interligam na essência destes objetos (escrita, ilustração, design), abertas depois a diálogos e a trocas muito estimulantes com as outras expressões da arte e da cultura, muitas vezes pouco explorados pelos mediadores de leitura. Os professores têm um papel fundamental enquanto promotores de leitura e será importante terem acesso a uma formação que promova, junto dos seus alunos, o diálogo entre a leitura e outras formas de expressão e comunicação.

Objetivos

Nesta oficina, os participantes procurarão respostas de forma concreta e participada nos muitos livros à disposição e aprenderão a ler mais profundamente estas obras, para saber selecioná-las e mediá-las com qualidade tendo como premissa a noção de identidade.

Conteúdos

De que género é este livro? – perguntaremos a cada livro explorado directamente na sessão . É verdadeiramente um objeto artístico? Que espelho reflete e projeta sobre a criança a quem se destina? Como suporta o desenvolvimento da sua identidade?

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Demonstrativa. Componente prática com base na seguinte metodologia: Discussão orientada e colaborativa.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).


Observações

FORMADORA DORA BATALIM SOTTO MAYOR Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, obteve uma pós-graduação em Sociologia da Cultura e uma especialização em Ciências da Educação na vertente Educação e Leitura Detentora de um Mestrado em Livros e Leituras para crianças e Jovens e um segundo Mestrado em Ciências da Educação. Especialista em livros infantis e ilustração, pedagogia e artes. Estudou Literatura, Sociologia da Cultura, Pedagogias Alternativas, Ciências da Educação e Terapia pela Arte. Docente universitária em licenciaturas e mestrados de Educação no ISPA e na ESE João de Deus. Fez parte da equipa do Serviço Educativo do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian e colabora com instituições culturais como a Fábrica das Artes do CCB, desenvolvendo atividades de carácter artístico-pedagógico para o público infanto-juvenil e adulto. Foi criadora, coordenadora pedagógica e docente da Pós-graduação em Livro Infantil da Universidade Católica de Lisboa. Faz parte da rede de especialistas da Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas, do Observatório de Leitura de Pombal, desenvolve propostas de formação e de mediação da leitura para o PNL e integra a equipa do Instituto Emília, no Brasil. Coordenou o Serviço educativo da Bedeteca, projectos na área das bibliotecas escolares da Câmara Municipal de Lisboa e da de Cascais. Foi jurada em várias edições do Prémio Nacional de Ilustração. Cria e adapta materiais pedagógicos. É consultora editorial da Assembleia da República numa coleção de livros infanto-juvenis, em curso. Traduz e é revisora de livros para crianças. Tem um livro publicado.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-03-2024 (Sábado) 10:30 - 13:00 2:30 Presencial
2 16-03-2024 (Sábado) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial

INSCREVER-ME
249

Utilização de painéis interativos de forma segura e inovadora

ACD

 

3.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Esta ação de curta duração visa fomentar o aprofundamento dos conhecimentos dos professores na utilização dos painéis interativos, o que irá potenciar as suas competências digitais em diferentes formas de aprendizagem, quer na definição de orientações quer na alocação de recursos, quer na linha ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1682 Inscrições abertas até 19-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD5/23-24

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 20-03-2024

Fim: 20-03-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

António Vidal Santos

Mário Miguel Pereira Guedes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Enquadramento

Esta ação de curta duração visa fomentar o aprofundamento dos conhecimentos dos professores na utilização dos painéis interativos, o que irá potenciar as suas competências digitais em diferentes formas de aprendizagem, quer na definição de orientações quer na alocação de recursos, quer na linha condutora de aulas quer, ainda, na definição de percursos educativos para os alunos e planeamento constante por parte dos docentes. Esta formação permitirá também aos professores o contacto com a aprendizagem de pedagogias ativas num contexto de ensino com integração digital, nomeadamente de painéis interativos, considerando o papel do professor no atual contexto educativo, com a adaptação às tecnologias e aos espaços virtuais de apoio à concretização de aprendizagens. Pretende-se que os professores procedam a uma continuada adaptação e renovação das suas práticas pedagógicas, enfatizando a melhoria de autonomia dos alunos, com a criação de estratégias que incluem a utilização dos dispositivos digitais para construírem e planificarem uma aprendizagem mais segura e inovadora.

Objetivos

Conhecer as potencialidades dos painéis interativos. Aplicar vários modos de compartilhamento dos painéis. Compreender as vantagens do uso dos painéis em relação aos projetores convencionais. Identificar e solucionar problemas mais comuns associados à utilização dos painéis. Reconhecer os cuidados a ter na utilização dos painéis interativos.

Conteúdos

O painel Interativo: potencialidades e desafios. Conectividade de equipamentos ao painel de diferentes formas; Despiste de problemas relacionados com o painel interativo; Partilha de conteúdo com vários utilizadores - Sala de espera; Utilização de software de utilização mais comum no painel interativo; Cuidados a ter na utilização do painel interativo; Problemas comuns; Utilização do Google Drive para compartilhamento de ficheiros e realização de trabalhos com os alunos.

Metodologias

A formação será predominante prática, integrando os recursos digitais - painéis interativos. Serão instalados vários painéis interativos de forma a proporcionar aos docentes uma utilização mais segura e uma exploração eficiente destes equipamentos. Demonstração da utilização prática do painel nos vários modos de funcionamento: ∙ Autónomo ∙ Ligado a computador por cabo de vídeo ∙ Ligado a computador pela rede/Internet – utilização da extensão Chrome e do software Screen Share. Apresentação prática do software de utilização mais comum do painel. ∙ Quadro branco; ∙ Screen Share; ∙ Navegadores; ∙ Temporizador/Cronómetro. ∙ Leitor de PDFs (Adobe Acrobat); ∙ Visualizadores de documentos Office. Realização de ligações e funcionamento por parte dos formandos nos painéis. Apresentação de problemas comuns na utilização. Apresentação de cuidados a ter na utilização dos painéis.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).


Observações

FORMADORES: MÁRIO GUEDES Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Italianos. Mestre em Ciências da Educação, especialização em Informática Educacional. Formador acreditado pelo CCPFC em Didática de Português e Tecnologias Educativas. Professor do Quadro do Agrupamento de Escolas Gil Eanes (Gr 300 Português, a lecionar também italiano). ANTÓNIO VIDAL SANTOS Professor de Matemática no AEJD; Embaixador Digital do CFAE Rui Grácio; Formador acreditado pelo CCPFC em Didática da Matemática e Tecnologias Educativas. COLABORADORES: Gil Moreira - Professor do grupo 550 no AEJD António Marreiros – Professor do grupo 550 no AEJD

Certificação de 3 horas na dimensão científica e pedagógica de todos os grupos de docência. Despacho n.º 5741/2015, de 29 de Maio.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-03-2024 (Quarta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial

INSCREVER-ME
260

Preservar a Memória do Património Cultural Local e Regional na Era do Digital

Oficina

 

50.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial

Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Esta oficina surge como resposta às necessidades de operacionalização da Flexibilização Curricular e permite mobilizar um trabalho pedagógico que apela à redefinição de estratégias educativas para utilização do património material e imaterial, de modo a proporcionar aos alunos o desenvolvimento de ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1841 Inscrições abertas até 15-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122778/24

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas (25.0 horas presenciais + 25.0 horas de trabalho autónomo)

Início: 08-04-2024

Fim: 20-05-2024

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

José António de Jesus Martins

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, do Ensino Secundário e de Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio, em parceria com a Câmara Municipal de Lagos

Enquadramento

Esta oficina surge como resposta às necessidades de operacionalização da Flexibilização Curricular e permite mobilizar um trabalho pedagógico que apela à redefinição de estratégias educativas para utilização do património material e imaterial, de modo a proporcionar aos alunos o desenvolvimento de competências de cidadania e sustentabilidade. Valoriza-se a abordagem interdisciplinar, pela confluência de saberes, estruturando-se estes a partir da história local. Potencia-se a reflexão e a prática de articulação curricular em projetos, experiências e vivências sociais e culturais que permitem aprendizagens significativas. Importa, assim, conhecer o Património Cultural edificado e imaterial das Freguesias, Vilas, Cidades e da Região do Algarve (como um todo) motivando os professores a equacionar pedagogicamente as seguintes questões na escola: a) Existe um Algarve Histórico e Cultural com identidade própria? b) Estarão as plataformas digitais a fazer com que a sociedade, no seu todo (alunos e professores e comunidade educativa) esteja a preterir o conhecimento do seu Passado e a valorizar o consumo de notícias históricas sem a recensão dos investigadores académicos? Ou, pelo contrário, estarão as redes sociais a promover um conhecimento, até há pouco tempo centrado e dominado por um pequeno número de investigadores, que favorece um grau de literacia cultural e histórica sem paralelo na História da Humanidade? Tendo como ponto de partida estas questões, a oficina de formação pretende responder às necessidades de formação de todos os professores no que respeita à Educação para o Património Cultural, material e imaterial, e à sua integração curricular, com recurso ao digital.

Objetivos

Objetivo geral: Preservar a Memória do Património Local e Regional na Era do Digital. 1. Implementar atividades de educação patrimonial na era do digital, com significativas potencialidades de adesão dos alunos, na consciencialização e promoção de boas práticas sustentáveis: 1.1. As salas de aula como meios de conhecimento e caracterização do Património Local e Regional, tanto por parte dos alunos como dos professores; 1.2. As páginas web dos Agrupamentos como veículos de conhecimento, caracterização e promoção das tipologias do Património Cultural Local e Regional; 1.3. Os alunos como agentes da promoção e preservação do seu Património Local e Regional. 2. Implementar metodologias que permitam a revisão dos textos de interpretação das abordagens patrimoniais, de forma a torná-los mais claros, acessíveis e, quando adequado, baseados em narrativas e vivências pessoais e coletivas. 3. Definir planos de comunicação externa para a preservação do Património, considerando as especificidades do ensino/aprendizagem, o envolvimento dos interlocutores do território e a integração de diferentes canais e suportes, ampliando o uso das redes sociais e dos ambientes colaborativos digitais.

Conteúdos

1. Levantamento, via Internet, de sites sobre conteúdos relacionados com o Património Local e Regional no âmbito dos municípios portugueses. 1.1. Exemplos de Património edificado e imaterial. 2. Identificação de boas práticas e publicação on-line, sobre o conhecimento do Património Local e Regional ao nível da região do Algarve (da Freguesia à Região). 2.1. Exemplos de Património edificado e imaterial. 3. O Património e a Memória que temos dos outros. 3.1. Construção de um Manual sobre o legado deixado pelos nossos antepassados. 3.1.1 Exemplo de Castelos e Fortificações. 3.1.2. Exemplo de Lendas e Tradições. 3.1.3. Exemplo de Doçaria Local e Regional.

Metodologias

SESSÕES PRESENCIAIS CONJUNTAS: A oficina terá a duração de 25 horas presenciais e três etapas fundamentais: 1. Uma componente presencial conjunta, onde serão explorados os conteúdos teórico-práticos e a orientação para elaboração de um projeto / implementação de metodologias e/ou materiais pedagógicos. (21 horas) 2. Uma componente de trabalho autónomo dos formandos, individualmente ou em grupo: 25h 3. A oficina terminará com a apresentação e discussão, na última sessão presencial conjunta, do relatório crítico do formando sobre o projeto / metodologias / materiais implementados na prática pedagógica. (4 horas presenciais) TRABALHO AUTÓNOMO: - Implementação de projetos / metodologias na sala de aula e construção de materiais pedagógicos de Educação Patrimonial; - Preparação dos materiais para apresentação à turma, na última sessão; - Elaboração do relatório crítico: autoavaliação do trabalho realizado e sua importância no desenvolvimento dos alunos e na melhoria das aprendizagens. (25 horas autónomas)

Avaliação

Os participantes procedem à apresentação de um relatório crítico sobre o trabalho desenvolvido e sua importância na motivação, na melhoria das aprendizagens e no desenvolvimento global dos alunos. Avaliação final do formando: - Ponderações: 25% participação nas sessões  e 75% para os trabalhos desenvolvidos e relatório final do formando. - Para a avaliação final individual de cada professor será usada uma escala quantitativa de 1 a 10 valores: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. - A classificação final e as horas de formação para a progressão na carreira docente constarão no certificado final a emitir pelo Centro de Formação.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Obras de Consulta Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico, Lei Orgânica (Decreto-Lei nº 96/2007, de 29 de março). Turismo de Portugal, Guia dos Percursos Pedestres, Turismo de Portugal e C.C.D.R.Algarve, 2007. Turismo de Portugal, Guia do Património Cultural, Turismo de Portugal e Turismo do Algarve, 2007. Estudos on-line Património da Educação, http://www.hereduc.net. http://www.igespar.pt/pt/aprendercomopatrimonio http://www.sg.min-edu.pt/pt/servicos-partilhados/patrimonio-da-educacao/ Grupo de Projeto Museus no Futuro Relatório Final. 1.3. Turismo (Adaptado): Disponível em http://patrimoniocultural.gov.pt/static/data/docs/2021/02/15/RelatorioMuseusnoFuturo


Observações

FORMADOR: JOSÉ ANTÓNIO DE JESUS MARTINS Licenciado em História, pela Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, concluiu um Mestrado em História Medieval, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto; uma pós-graduação em Direito das Autarquias Locais, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa; um Curso de Extensão Universitária em Património Cultural, Natural e Mundial/Módulo Turismo Cultural, na Universidade Moderna; uma Especialização em Gestão do Património e Turismo Cultural pela New York University, Estados Unidos; e concluiu a parte curricular do Curso de Doutoramento em Letras (conclusão de unidades curriculares) na Universidade da Beira Interior. Desde a segunda metade da década de 80 do século XX tem publicado vários estudos e reflexões sobre História Local e Regional do Algarve, alguns publicados em livros ou em separatas de jornais e Atas de Congressos. Há mais de quatro décadas tem realizado investigação histórica e na área do Património Cultural, tanto em Portugal como no estrangeiro, nomeadamente em França/Paris-Biblioteca de La Sorbonne; Suiça/Berna-Stadund - Universitatsbibliothek; E.U.A./Park Ridge-United States Padron Squadrons; na Universidade de Nova York; em Espanha/Sevilha-Arquivo General de las Índias; no Japão/Tóquio-Universidade de Sofia e no Brasil/Cuibá-Universidade Federal de Mato Grosso. Desde 2016 desenvolve um Projeto de Investigação relacionado com a Biblioteca de D. Fernão Martins Mascarenhas, Bispo do Algarve, saqueada em 1596 na cidade de Faro. As obras, encadernadas com a Heráldica do Bispo do Algarve, encontram-se na Bodleian Library (Oxford) e constituem parte das raridades desta biblioteca britânica. Conferencista e Consultor Histórico em Portugal e no estrangeiro. Autor de mais de 50 títulos em português e inglês, tendo estudos traduzidos para francês, inglês, alemão, castelhano e japonês. Investigador integrado no Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. (Research Group: Cultural Encounters and Intersecting Societies; Building and Connecting Empires). Formador convidado em várias ações de formação de professores e como conferencista nos temas: História, Educação para o Património Cultural, Educação para a Cidadania, Liderança e Supervisão, Organização de Eventos, entre outros. Website: https://joseantoniomartins.webnode.pt/ Atualmente, exerce as funções de Técnico Superior de História da Câmara Municipal de Lagos; Coordenador do Fórum Municipal dos Descobrimentos, Lagos; Entre 1985 e 2019 exerceu funções de Técnico Superior de Cultura; Chefe de Divisão de Cultura e Promoção Turística; Diretor de Departamento de Educação, Cultura e Informação; Diretor de Departamento de Educação, Cultura e Acão Social; Chefe de Divisão de Património Histórico e Cultural.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 10-04-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
3 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
4 17-04-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 06-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
6 08-05-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
7 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

260
252

Dança Criativa e Expressão Dramática na Educação
Educadores de Infância e Professores do 1.º ciclo

Curso

 

25.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;

Biblioteca Municipal de Lagos Júlio Dantas

A Importância da Dança e do Teatro no contexto escolar implica permitir aprendizagens que colocam as crianças e jovens perante a experiência do Fruir, Contemplar, Refletir, Interpretar, Experimentar e Produzir, constituindo a base de uma Educação Estética e Artística fundamental para a formação integral do ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1761 Inscrições abertas até 15-03-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123077/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-04-2024

Fim: 11-06-2024

Regime: Presencial

Local: Biblioteca Municipal de Lagos Júlio Dantas

Formador

Albina Petrolati

Maria da Conceição Martins Gonçalves

Destinatários

Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril de 2023 a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente Educadores de Infância; Professores do 1º Ciclo;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Enquadramento

A Importância da Dança e do Teatro no contexto escolar implica permitir aprendizagens que colocam as crianças e jovens perante a experiência do Fruir, Contemplar, Refletir, Interpretar, Experimentar e Produzir, constituindo a base de uma Educação Estética e Artística fundamental para a formação integral do Indivíduo. A ação pretende sensibilizar para a importância da Criatividade e da Imaginação como suportes educativos e interventivos. A Dança e a Expressão Dramática serão entendidas como estratégias formativas no processo de ensino-aprendizagem, existindo uma necessidade expressa dos/as educadoras e professores/as para a utilização do movimento e drama como estratégia pedagógica de expressão e comunicação, na construção de várias aprendizagens essenciais.

Objetivos

Explorar e experimentar o potencial criativo do corpo, enquanto entidade comunicativa e significante – na relação consigo próprio (auto-conhecimento), com o outro e com o espaço; Percepcionar as ligações entre corpo e movimento e corpo/mente/emoções; Explorar as noções de ritmo interior e de ritmo exterior; Adquirir maior consciência e acuidade vocal – noção de ritmo, volume, tonalidade, e intencionalidade; Promover a criação de pequenas “partituras” / improvisações a partir de diferentes estímulos: texto narrativo, poético, etc. ; música, sons; obras de arte, imagens, objectos; natureza, etc. Explorar a ligação dos diferentes “textos” com o movimento, com o espaço, com o outro – procura de sentido/foco/intencionalidade; Estimular e desenvolver o sentido estético e artístico; Promover o trabalho de cooperação multidisciplinar e de criação; Promover o debate em torno do Indisciplinar a Escola e das possibilidades de criação transdisciplinar.

Conteúdos

O Corpo no Espaço (3 horas): O espaço nas suas linhas e na sua profundidade + inserção do corpo nesta dimensão; As várias partes do corpo e a sua exploração num espaço. O Corpo e o Movimento (3 horas): As diferentes velocidades; As diferentes dinâmicas; As diferentes formas; Os diferentes níveis; O Corpo Emissor Sonoro (3 horas): A voz e as suas possibilidades: Volume, Ritmo, Tonalidade, Intencionalidade. Respiração, Articulação, Colocação. A Relação do Eu com o Outro (8 horas): Dinâmicas de relacionamento interpessoal (imitação, confiança, relaxamento); Atividades de expressão dramática de integração; Atividades de expressão dramática simples e complexas. A Linguagem expressiva da Dança e do Teatro (8 horas): Através do desenvolvimento de temas, ideias, sentimentos e emoções, ou de outros indutores, explorar a dança e o teatro enquanto linguagens de expressão e a comunicação com o outro e com o grupo. Criação de pequenas improvisações.

Metodologias

Aulas práticas: Trabalho a pares; trabalho em grupo; dinâmicas de grupo; exercícios de aquecimento físico e vocal; exploração espacial; exposição oral; role-playing, improvisação. Reflexão e debate.

Avaliação

Os formandos serão avaliados quantitativamente, na escala de 1 a 10; considera-se classificação positiva a partir de 5, inclusive. Na avaliação qualitativa será utilizada a classificação: Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; Bom – de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. Os critérios / indicadores e respectiva ponderação são os seguintes: Participação – será avaliado o grau de empenhamento e envolvimento na acção, atendendo por um lado à assiduidade e pontualidade e por outro à participação no decorrer das sessões (interesse, comentários, participação em trabalhos de grupo e individual) – 40% Trabalho produzido – (50% + 10%): Documento de reflexão critica sobre os conteúdos abordados, ligando-os com as práticas desenvolvidas neste domínio e os contextos de trabalho - 50% Intervenção em contexto – selecção de uma acção de intervenção directa (apresentação e discussão em grande grupo) – 10%

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação. O CFAE Rui Grácio procede à elaboração do Relatório de Avaliação do Plano de Formação e Atividades.

Bibliografia

Aguilar, Luís Filipe: Expressão e Educação Dramática. Guia Pedagógico para o 1º Ciclo do Ensino Básico. Instituto de Inovação Educacional, Lisboa 2001 Calvino Prina, Federica e Padovan, Maurizio: A Dança no Ensino Obrigatório. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa 1995 Faure, Gérard e Lascar, Serge: O Jogo Dramático na Escola Primária. Editorial Estampa, Lisboa 2000 Sasportes, José: Pensar a dançar, a reflexão estética de Marllarmé a Cocteau, Colecção arte e artistas, 2006 Vygotsky, Lev: A Imaginação e a Arte na Infância, Relógio D’Água, Lisboa 2009


Observações

FORMADORAS: ALBINA PETROLATI Albina Pe­tro­lati nasceu a 10 de Fe­ve­reiro de 1974 em Mon­te­ca­rotto, pro­vín­cia de Ancona, região de Marche, Itália. Em 2010 finaliza a Pós-Gra­du­a­ção em Arte e Educação (1º edição) na Uni­ver­si­dade Aberta. Vive em Portugal desde 2002 e começa a tra­ba­lhar com várias ins­ti­tui­ções, sempre na área da dança criativa. Em 2003 par­ti­cipa no projecto europeu “ Leonardo” em Toulouse, onde trabalha como monitora de dança criativa no Centro Cultural de Saint Cyprien. Em 2007 vai viver para Sines e começa a tra­ba­lhar como monitora do Serviço Edu­ca­tivo do Centro de Artes de Sines e co­or­de­na­dora das ati­vi­da­des de dança até 2016. Em 2010 torna-se for­ma­dora na área da dança, pelo Mi­nis­té­rio da Educação, no âmbito do programa Educação Estética e Ar­tís­tica. Em 2012 par­ti­cipa no projeto “Opus Tutti”, pela Com­pa­nhia Música Teatral, na Gul­ben­kian. De 2016 a 2020 par­ti­cipa em vários Projetos, como Pegada Cultural no Agru­pa­mento de Escola de Lagoa, Projeto Miragem em Odemira da autoria Madalena Vic­to­rino, Projeto Lavrar o Mar, es­pe­tá­culo Rastilho, também da autoria de Madalena Vic­to­rino no âmbito do programa 365 Algarve. De­sen­volve projetos de dança criativa para o pré-escolar nos Agru­pa­men­tos Es­co­la­res de Lagoa e Aljezur. Integra a equipa do SETE – Serviço Edu­ca­tivo do Teatro Ex­pe­ri­men­tal de Lagos, em projetos com a bi­bli­o­teca de Lagos e em Agru­pa­men­tos Es­co­la­res de Lagos. É criadora em conjunto com Remi Gallet e Maria Gallet do es­pe­tá­culo para a primeira infância “Artur”. Torna- se Artista Re­si­dente do Plano Nacional Das Artes do Agru­pa­mento das Escolas Júlio Dantas, em Lagos. MARIA DA CONCEIÇÃO GONÇALVES Nasceu no Algarve a 8 de Setembro de 1962. Estudou teatro na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e formou-se em Educação no Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho. Tem o 2º ano do curso de Arteterapia, orientado por Maya Moussa. Tem frequentado vários workshops em áreas artísticas como o teatro, a voz, o movimento e em áreas terapêuticas como a Biossíntese e a Arteterapia. Formadora do Programa de Educação Estética e Artística do Ministério da Educação, na área do Teatro e no Plano Nacional das Artes. Actriz residente no Agrupamento de Escolas Júlio Dantas, entre 2019-2022, onde desde desenvolveu projetos artísticos em co-autoria com Albina Petrolati, com alunos/as com necessidades educativas especiais que frequentam os CAA (Centros de Apoio à Aprendizagem) e com outras turmas. Em 2021/22 participou no Programa Arte Sem Limites da DGARTES, no espectáculo Viram a Ana? enquanto actriz e no apoio à encenação e dramaturgia. Trabalhou profissionalmente como actriz, integrou a equipa que criou o Serviço Educativo do Centro Cultural de Cascais, e trabalhou em ONG’s na área do Desenvolvimento Local. Ao longo de vários anos desenvolveu projetos nas áreas do teatro e do ambiente com crianças do pré-escolar e do 1º ciclo, e coordenou vários projetos (nacionais e internacionais) de animação e intervenção comunitária. Nos últimos participou como actriz/performer em vários projectos com Madalena Victorino e Giacomo Scalisi e com o Teatro Experimental de Lagos, no âmbito do Programa 365 Algarve, e com Susana Medeiros, Luís Godinho, Marina Nabais e Margarida Mestre no âmbito de vários projectos artísticos desenvolvidos pela Associação Tertúlia da qual faz parte. Foi directora artística do Projecto Gatilho, financiado pelo Programa PARTIS e dirigiu o espectáculo Revoluções estreado no Centro Cultural de Lagos nas comemorações do 25 de Abril de 2023. Trabalha com a comunidade sénior do concelho de Aljezur coordenando actualmente um trabalho de animação comunitária, no âmbito do Programa Entrelaçar, inserido na Agenda Sénior do Concelho. É membro da Tertúlia Associação Sócio-Cultural de Aljezur e responsável pela direcção artística dos projectivos promovidos e desenvolvidos pela associação.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-04-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 30-04-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
3 07-05-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
4 14-05-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
5 21-05-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
6 28-05-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
7 04-06-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
8 11-06-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

252