OFERTA FORMATIVA

Não existem ações.

Ref. 1154.1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117496/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 13-10-2022

Fim: 14-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Júlio Dantas e Moodle do CFAE Rui Grácio

Formador

Olavo Daniel Cristina Rodrigues

Vítor Manuel Noruegas Dias da Rocha

Destinatários

Educadores de Infância

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e DGE - Plano de Transição Digital na Educação

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: - Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; - Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens - Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. - Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. 10.Avaliação e conclusões.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas: à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o \x93Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdfLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfKampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdfLopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf


Observações

Despacho n.º 2053/2021 - Releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente, até ao final do Plano de Transição Digital na Educação / Plano de Capacitação Digital de Docentes, que se prevê em 31/07/2023 .

Poster: Design Violante Romão

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 20-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 27-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 03-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 10-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 17-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
7 24-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona
8 15-12-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Presencial

Ref. 1033.1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117344/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-10-2022

Fim: 14-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Júlio Dantas e Moodle do CFAE Rui Grácio

Formador

Mário Miguel Pereira Guedes

Vítor Manuel Noruegas Dias da Rocha

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e DGE - Plano de Transição Digital na Educação

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Metodologias

Sessões presenciais / online síncronas: As sessões presenciais/síncronas são destinadas à exploração do referencial DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas inovadoras num ambiente colaborativo, de partilha e de reflexão; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação, partilha e avaliação; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento da componente de trabalho autónomo. Ao longo das sessões conjuntas estimular-se-á a criação e/ou participação e colaboração em comunidades de prática neste âmbito. No trabalho autónomo pretende-se estimular a planificação e conceção de ações que contribuam para a criação dos Planos de Ação de Desenvolvimento Digital, bem como para a sua regular monitorização e posterior avaliação. Na última sessão presencial os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se momentos para a partilha e reflexão.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o \x93Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education - guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENEU Science Hub (2018). Self-reflection tool for digitally capable schools (SELFIE). Disponível em: https://ec.europa.eu/jrc/en/digcomporg/selfie-toolLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf


Observações

Despacho n.º 2053/2021 - Releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente, até ao final do Plano de Transição Digital na Educação / Plano de Capacitação Digital de Docentes, que se prevê em 31.07/2023 .

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 12-10-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 19-10-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
5 09-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona
6 16-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 23-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 14-12-2022 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Presencial

Ref. 1022.10 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117442/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 03-10-2022

Fim: 12-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Júlio Dantas e Moodle do CFAE Rui Grácio

Formador

Vítor Manuel Noruegas Dias da Rocha

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e DGE - Plano de Transição Digital na Educação

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. -Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digita - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

A oficina terá a duração de 25 horas presenciais / online síncronas e 25 horas de trabalho autónomo. As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o "Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua". A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Observações

Despacho n.º 2053/2021 - Releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente, até ao final do Plano de Transição Digital na Educação / Plano de Capacitação Digital de Docentes, que se prevê em 31/07/2023 .

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-10-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 10-10-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 17-10-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 24-10-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
5 31-10-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 14-11-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona
7 28-11-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 12-12-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Presencial

Ref. 1063.1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115656/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 27-09-2022

Fim: 21-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Júlio Dantas e Moodle do CFAE Rui Grácio

Formador

Nélia Maria Pontes Amado

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 500

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 500.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio, Direção Geral de Educação - "Recuperar com Matemática" e Univerdidade do Algarve.

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: - 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; - 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; - 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; - Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática; Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática; Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemátic. Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada) - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover; Análise de produções de aluno; Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor; Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades. Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas); Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo); Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial: A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação, a fim de permitir tempo para uma intervenção na prática letiva. Sessões presenciais (momentos em pequenos grupos e em grande grupo): análise e discussão das AE, de textos teóricos que as suportam,resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas a propor aos alunos, a análise de produções de alunos e de episódios de sala de aula, e o seu enquadramento curricular no âmbito das novas AE de Matemática. Trabalho autónomo: Trabalho autónomo (individual ou em pequenos grupos): leitura das AE e de textos disponibilizados, na planificação,concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual crítico-reflexivo.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 (Temático sobre avaliação)Educação e Matemática, 162 (Temático sobre pensamento computacional)NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM.Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11.Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.

Anexo(s)

ac3_ccpfc_acreditada_-aprendizagens-essenciais-de-matematica-para-os-7-8-e-9-anos-de-escolaridade.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 27-09-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 11-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
3 08-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
4 22-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 06-12-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
6 10-01-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
7 24-01-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
8 07-02-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
9 07-03-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 09-03-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

Ref. 1041.1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115652/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-09-2022

Fim: 28-02-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

Soraia Alexandra Caracol de Pinho

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo:\r\na) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 110 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática no Ensino Básico, procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados do conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; - Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 1.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática; - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática; - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemátic; - Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulo; - Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover; - Análise de produções de alunos; - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor; - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades; - Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas); - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo); - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial: A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação, a fim de permitir tempo para uma intervenção na prática letiva. Sessões presenciais (momentos em pequenos grupos e em grande grupo): análise e discussão das AE, de textos teóricos que as suportam,resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas a propor aos alunos, a análise de produções de alunos e de episódios de sala de aula, e o seu enquadramento curricular no âmbito das novas AE de Matemática. Trabalho autónomo: Trabalho autónomo (individual ou em pequenos grupos): leitura das AE e de textos disponibilizados, na planificação,concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual crítico-reflexivo.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Canavarro, A. P. (2009). O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática dos primeiros anos. Quadrante, 16(2), 81-118.Canavarro, A. P., Oliveira, H., & Menezes, L. (2012). Práticas de ensino exploratório da matemática: O caso de Célia. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes, & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática, Livro de Atas do Encontro de Investigação em Educação Matemática EIEM2012 (pp. 255-266). Castelo de Vide: SPIEM.NCTM (2017). Princípios para a Ação. Lisboa: APM.Educação e Matemática, 2022, nº 162 (número temático sobre pensamento computacional)Henriques, A., & Oliveira, H. (2012). Investigações estatísticas. Um caminho a seguir? Educação e Matemática, 120, 3-8.

Anexo(s)

ac1_ccpfc_acreditada_aprendizagens-essenciais-de-matematica-para-o-1-ciclo-do-ensino-basico.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-09-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 04-10-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
3 18-10-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
4 31-10-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
5 15-11-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
6 29-11-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
7 13-12-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
8 17-01-2023 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
9 13-02-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
10 14-02-2023 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial

Ref. 1052.1 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115660/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-09-2022

Fim: 15-02-2023

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

Mónica Isabel da Cruz Leite Matos

Destinatários

Professores do grupo de recrutamento 230

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do grupo de recrutamento 230.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e Direção Geral de Educação - "Recuperar com Matemática"

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 230 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico, destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem ser capazes de: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar capacitados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; - Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e alertados para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 2.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática; - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática; - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemátic. Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover; - Análise de produções de alunos; - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor; - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades. Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada: - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas); - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo); - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial: A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação, a fim de permitir tempo para uma intervenção na prática letiva. Sessões presenciais (momentos em pequenos grupos e em grande grupo): análise e discussão das AE, de textos teóricos que as suportam,resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas a propor aos alunos, a análise de produções de alunos e de episódios de sala de aula, e o seu enquadramento curricular no âmbito das novas AE de Matemática. Trabalho autónomo: Trabalho autónomo (individual ou em pequenos grupos): leitura das AE e de textos disponibilizados, na planificação,concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual crítico-reflexivo.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158Educação e Matemática, 162NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM.Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11.Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.

Anexo(s)

ac2_ccpfc_acreditada_aprendizagens-essenciais-de-matematica-para-o-2-ciclo-do-ensino-basico.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-09-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
2 04-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
3 18-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
4 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
5 15-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
6 29-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
7 13-12-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
8 17-01-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
9 14-02-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial
10 15-02-2023 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Presencial

Ref. 1271 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD6

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 08-12-2022

Fim: 08-12-2022

Regime: Presencial

Local: Biblioteca Municipal de Lagos - Júlio Dantas

Formador

Maria Adelaide Pinheiro Abelha

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Biblioteca Municipal de Lagos – Júlio Dantas / CML em parceria com o Centro de Formação Dr. Rui Grácio.

Razões

Esta ação de formação é da iniciativa da Biblioteca Municipal de Lagos – Júlio Dantas / Câmara Municipal de Lagos, em parceria com o Centro de Formação Dr. Rui Grácio. Irá permitir que os professores e outros agentes educativos possam: Adquirir mais práticas para a projeção de voz e cuidar da voz; Conhecer mais formas para apresentação das histórias; Receber ferramentas para incentivar a expressão das emoções das crianças; Entender melhor as emoções das crianças; Estabelecer melhores ligações e relacionamentos entre professores, educadores e as crianças por meio da leitura. A Importância da arte e da leitura de histórias na educação, como defende Herbert Read, baseia-se na forma de incentivar a expressão das emoções das crianças e permitir-lhes mais bem-estar. David Goleman salienta a importância de saber identificar e gerir as emoções na vida de qualquer ser humano. Deste modo, todos os adultos, quer sejam pais, professores, educadores ou outros agentes, desempenham um papel fundamental no crescimento de uma criança para que viva alegre, equilibrada, assertiva, motivada e que venha a ser um adulto feliz. Através das artes (literatura, música, dança…), e da respiração o adulto pode potenciar o desenvolvimento e bem-estar emocional das crianças, o que lhes permitirá relacionarem-se melhor consigo e com os outros.

Objetivos

Refletir sobre o papel da escola como mediador da Leitura e de motivador do desenvolvimento emocional; Abordar diferentes formas de contar histórias; Descobrir práticas para despertar o gosto pela leitura na vida diária; Indicar alguns critérios de seleção de leituras/livros; Partilha de experiências na mediação de leitura em diferentes contextos.

Conteúdos

Literatura. Arte. Expressões. Emoções. Inteligência Emocional; Exercícios de Voz, Dicção e Postura corporal para leitura em voz alta; Diferentes formas de contar histórias; Práticas para despertar o gosto pela leitura; Mediação de leitura em diferentes contextos; Critérios de seleção de leituras/livros.

Metodologias

Técnicas de Respiração, Colocação de Voz, Postura Corporal; Interpretação de texto; Práticas para gestão das emoções; Critérios de seleção de histórias para lidar com várias temáticas e emoções.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória). O seminário é aberto a todo o Pessoal não Docente, Pessoal Técnico, Educativo e Especializado envolvido na Educação de crianças e jovens; As famílias e cidadãos em geral também serão convidadas a participar neste seminário.

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).


Observações

Formadora: Maria Adelaide Pinheiro Abelha Síntese do CV Arte-educadora com foco na Inteligência Emocional. Mediadora da leitura. Escritora do livro infantil “Maraia e o jardim do coração”, uma história para ser contada às crianças mas entendida pelos adultos. De 2001-2019, desenvolveu trabalho na Biblioteca Municipal de Vila Franca de Xira, atual Fábrica das Palavras no Serviço de Promoção e Animação da Leitura, a conceber e implementar atividades para diversos públicos e em vários contextos (Pediatria de Hospital, Lar de Idosos, Jardim Municipal, e outros). Também em encontros como por exemplo: Palavras Andarilhas em Beja, Festival Zimp, Rio de Contos em Almada e Mercado das Artes em Ponte de Lima). Além disso, ingressou o Clube de Leitura de Alcochete (2014-2019), orientado pela Andante e representou com o Grupo de Teatro Comunitário da Casa-Museu Mário Dionísio, em Lisboa (2015-2019). Durante 2004-2013, fez voluntariado numa Instituição de acolhimento de crianças em risco, onde levou a leitura para crianças dos 3 aos 12 anos que se encontravam em momentos emocionais muito desafiantes, desintegradas das suas famílias. Mais detalhes na sua tese de mestrado “Animação e Promoção da Leitura: em busca de formas de cont´arte”. Maria Abelha acredita que o gosto pela leitura é o maior tesouro que se pode oferecer às crianças, desde os seus primeiros tempos de vida ainda na barriga da mãe e de forma constante. Atualmente, ajuda as crianças a crescerem mais felizes, a relacionarem-se melhor consigo e com os outros, através dos adultos, seja a orientar formações, palestras, mentorias individuais ou em grupo, presenciais ou online. Para famílias, professores e educadores. Porque o mundo será melhor com mais histórias com finais felizes. Hoje, cada um de nós pode mudar o rumo das nossas histórias.

Ação com efeitos na Dimensão Científica e Pedagógica de todos os grupos de docência.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-12-2022 (Quinta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 1362 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD9

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 29-11-2022

Fim: 29-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Gil Eanes - Lagos

Formador

Sónia Maria dos Santos Peres Moreira

Maria do Rosário Pinto dos Santos Sousa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e DGE - Projeto Coopera Escola+21-23

Razões

A Aprendizagem Cooperativa apresenta-se como um recurso educativo poderoso, um modelo pedagógico onde o ensino e a aprendizagem são atrativos, inclusivos, participativos e motivadores, não só para quem ensina, mas sobretudo para quem aprende. Existe um crescente número de investigações que confirmam a eficácia da Aprendizagem Cooperativa em diferentes categorias: académicas, sociais, psicológicas e de avaliação, em diversos níveis de ensino (Crespo, Lorenzo & Santos Rego, 2014; Johnson, Johnson & Holubec, 1998; Kagan, 1999; Smith, 1996; Moreira 2011). Existem também sucessivas recomendações de organismos internacionais influentes na definição das orientações transnacionais de políticas educativas(como a OCDE, a União Europeia, a UNESCO, entre outros) que apontam as competências de cooperação (de relacionamento interpessoal) como uma das competências básicas que as crianças e jovens devem adquirir como ferramentas indispensáveis para o exercício de uma cidadania plena, ativa e interventiva na sociedade da informação e do conhecimento como a do século XXI. Trata-se, portanto, de uma metodologia ativa com potencial necessário para transformar práticas pedagógicas nas escolas em todos os níveis de ensino, colocando o aluno no centro da ação educativa. Apresentação de um Programa de Intervenção cujo principal objetivo é: Recuperar Incluindo com a Aprendizagem Cooperativa. Consultar roteiro disponível no Plano de Recuperação de Aprendizagens Escola +21-23: Eixo: Ensinar e Aprender: Domínio: Recursos Educativos https://escolamais.dge.mec.pt/sites/default/files/2021-12/1.3.7.-roteiro_recuperar-incluindo-com-a-aprendizagem- cooperativa.pdf

Objetivos

Divulgar a Aprendizagem Cooperativa (AC), enquanto metodologia de aprendizagens ativas promotora das diferentes competências para os alunos do século XXI. Apresentar o Projeto Coopera, como um exemplo de intervenção pedagógica de sucesso, sustentado na Aprendizagem Cooperativa. Identificar diferentes formas de organização pedagógica através do Projeto COOPERA.

Conteúdos

1) Aprendizagem Cooperativa: conceito, fundamentos e métodos. 2) Evidências e benefícios da Aprendizagem Cooperativa. 3) Aprendizagem Cooperativa no Projeto Coopera Escola +21-23. 4) Recuperar incluindo com o Projeto Coopera na Escola +21-23. 5) Funcionamento das Aulas Coopera. Aprendizagem Cooperativa enquanto: 1) modelo de intervenção pedagógica no âmbito da AFC e da Educação Inclusiva; 2) evidência de mudança de paradigma no contexto educativo; 3) movimento transformacional de práticas pedagógicas, avaliativas e organizacionais nas escolas.

Metodologias

Metodologias ativas e participativas em regime presencial.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).

Bibliografia

-


Observações

Formadoras: - Sónia Maria dos Santos Peres Moreira. Pós-graduação / Diploma de Estudos Avançados (DEA) em Educação e Desenvolvimento Humano: Perspetivas Teóricas, Históricas e Sociais. Doutoramento em Educação e Desenvolvimento Humano. Coordenadora do Projeto COOPERA desde outubro de 2016 (PNPSE). Direção Geral de Educação. - Maria do Rosário Pinto dos Santos Sousa

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 29-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial

Ref. 1361 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD9

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 4.0 horas

Início: 28-11-2022

Fim: 28-11-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas - Lagos

Formador

Sónia Maria dos Santos Peres Moreira

Maria do Rosário Pinto dos Santos Sousa

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e DGE - Projeto Coopera Escola+21-23

Razões

A Aprendizagem Cooperativa apresenta-se como um recurso educativo poderoso, um modelo pedagógico onde o ensino e a aprendizagem são atrativos, inclusivos, participativos e motivadores, não só para quem ensina, mas sobretudo para quem aprende. Existe um crescente número de investigações que confirmam a eficácia da Aprendizagem Cooperativa em diferentes categorias: académicas, sociais, psicológicas e de avaliação, em diversos níveis de ensino (Crespo, Lorenzo & Santos Rego, 2014; Johnson, Johnson & Holubec, 1998; Kagan, 1999; Smith, 1996; Moreira 2011). Existem também sucessivas recomendações de organismos internacionais influentes na definição das orientações transnacionais de políticas educativas(como a OCDE, a União Europeia, a UNESCO, entre outros) que apontam as competências de cooperação (de relacionamento interpessoal) como uma das competências básicas que as crianças e jovens devem adquirir como ferramentas indispensáveis para o exercício de uma cidadania plena, ativa e interventiva na sociedade da informação e do conhecimento como a do século XXI. Trata-se, portanto, de uma metodologia ativa com potencial necessário para transformar práticas pedagógicas nas escolas em todos os níveis de ensino, colocando o aluno no centro da ação educativa. Apresentação de um Programa de Intervenção cujo principal objetivo é: Recuperar Incluindo com a Aprendizagem Cooperativa. Consultar roteiro disponível no Plano de Recuperação de Aprendizagens Escola +21-23: Eixo: Ensinar e Aprender: Domínio: Recursos Educativos https://escolamais.dge.mec.pt/sites/default/files/2021-12/1.3.7.-roteiro_recuperar-incluindo-com-a-aprendizagem- cooperativa.pdf

Objetivos

Divulgar a Aprendizagem Cooperativa (AC), enquanto metodologia de aprendizagens ativas promotora das diferentes competências para os alunos do século XXI. Apresentar o Projeto Coopera, como um exemplo de intervenção pedagógica de sucesso, sustentado na Aprendizagem Cooperativa. Identificar diferentes formas de organização pedagógica através do Projeto COOPERA.

Conteúdos

1) Aprendizagem Cooperativa: conceito, fundamentos e métodos. 2) Evidências e benefícios da Aprendizagem Cooperativa. 3) Aprendizagem Cooperativa no Projeto Coopera Escola +21-23. 4) Recuperar incluindo com o Projeto Coopera na Escola +21-23. 5) Funcionamento das Aulas Coopera. Aprendizagem Cooperativa enquanto: 1) modelo de intervenção pedagógica no âmbito da AFC e da Educação Inclusiva; 2) evidência de mudança de paradigma no contexto educativo; 3) movimento transformacional de práticas pedagógicas, avaliativas e organizacionais nas escolas.

Metodologias

Metodologias ativas e participativas em regime presencial.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).

Bibliografia

-


Observações

Formadoras: - Sónia Maria dos Santos Peres Moreira. Pós-graduação / Diploma de Estudos Avançados (DEA) em Educação e Desenvolvimento Humano: Perspetivas Teóricas, Históricas e Sociais. Doutoramento em Educação e Desenvolvimento Humano. Coordenadora do Projeto COOPERA desde outubro de 2016 (PNPSE). Direção Geral de Educação. - Maria do Rosário Pinto dos Santos Sousa

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 28-11-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial

Ref. 1351 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD8

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 23-11-2022

Fim: 23-11-2022

Regime: Presencial

Local: Hotel Vila Galé - Lagos

Formador

Rui Carvalho

Destinatários

Professores de todos os grupos de docência em exercício de funções no Projeto CFDDE e Coordenação Nacional do Desporto Escolar.

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e Direção Geral de Educação - Desporto Escolar

Razões

Esta ação de formação surge após a necessidade diagnosticada de criar momentos de formação para os Professores que integram o Projeto Centros de Formação Desportiva do Desporto Escolar nos seus diversos patamares de intervenção – Coordenação do Projeto no seu AE/ENA, Professores Dinamizadores nas diversas dimensões de ação dos quatro eixos de Intervenção do Projeto CFDDE, dando cumprimento aos compromissos bem como aos objetivos operacionais e estratégicos do PEDE 21-25.

Objetivos

- Desenvolver competências no âmbito de gestão e organização de CFDDE; - Analisar e refletir sobre o impacto de 10 anos da implantação do Projeto CFDDE; - Transmissão de boas-práticas no âmbito do acompanhamento ao Projeto CFDDE; - Criação de compromissos comuns para a uniformização de procedimentos.

Conteúdos

Apresentação e Discussão do Regulamento de Funcionamento dos CFDDE: - CFDDE como polo de desenvolvimento desportivo dinamizados nas AE/ENA; - Linhas orientadoras para as parcerias com Autarquias, parceiros locais e Federações - Atividades dos CFDDE no âmbito da Articulação Curricular, Ambiente, Sustentabilidade, Saúde e Bem-estar. Uniformização de modelos de procedimentos: Segurança, especificidade técnica de cada modalidade, Dossier Informático e Monitorização, Comunicação e Imagem. Enquadramento do Acompanhamento ao Projeto CFDDE – Visitas Técnicas de Acompanhamento. Análise SWOT em cada AE/ENA, partilha de conclusões e compromisso com os Regulamentos de Funcionamento do Projeto CFDDE.

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Método expositivo e método demonstrativo, bem como espaço para discussão orientada entre Formador e Formandos encorajando uma aprendizagem ativa e participada permitindo uma partilha de experiências numa perspetiva local, regional e nacional. Componente prática com base na seguinte metodologia: Aprendizagem colaborativa através da aplicação de uma análise SWOT em cada AE/ENA, partilha de conclusões e compromisso com o Regulamentos de Funcionamento do Projeto CFDDE. Reuniões técnicas por modalidade desportiva.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).

Bibliografia

-


Observações

Formador: Rui Miguel da Conceição Carvalho LICENCIATURA EM: Educação Física e Desporto MESTRADO EM: Gestão da Formação Desportiva

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 23-11-2022 (Quarta-feira) 10:30 - 13:00 2:30 Presencial
2 23-11-2022 (Quarta-feira) 14:30 - 18:00 3:30 Presencial

Ref. 1341 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD7

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 22-11-2022

Fim: 22-11-2022

Regime: Presencial

Local: Hotel Vila Galé - Lagos

Formador

Rui Carvalho

Destinatários

Elementos da Estrutura do Desporto Escolar – Professores em exercício de funções na Coordenação Nacional, Regional e Local do Desporto Escolar. Grupos de Docência: 110, 260 e 620.

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e Direção Geral de Educação - Desporto Escolar

Razões

Esta ação de formação surge após a necessidade diagnosticada de criar momentos de formação para a Estrutura do Desporto Escolar nos seus diversos patamares de Coordenação, dando cumprimento aos objetivos operacionais e estratégicos elencados no PEDE 21-25. Uniformização de modelos de acompanhamento ao Projeto CFDDE.

Objetivos

- Criar um momento de análise e reflexão sobre o impacto de 10 anos da implantação do Projeto CFDDE; - Transmissão de boas-práticas no âmbito do acompanhamento ao Projeto CFDDE; - Criação de compromissos comuns para a uniformização de procedimentos.

Conteúdos

Enquadramento geral face ao PEDE 21-25: - Os objetivos operacionais e estratégicos definidos no PEDE 21-25; Apresentação e Discussão dos Regulamentos de Funcionamento dos CFDDE: - CFDDE como polo de desenvolvimento desportivo dinamizados nas AE/ENA; - Linhas orientadoras para as parcerias com Autarquias, parceiros locais e Federações; - Atividades dos CFDDE noa âmbito da Articulação Curricular, Ambiente, Sustentabilidade, Saúde e Bem-estar. Análise SWOT em cada AE/ENA, partilha de conclusões e compromissos com os Regulamentos de Funcionamento do Projeto CFDDE.

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: Método expositivo e método demonstrativo, bem como espaço para discussão orientada entre formador e formandos encorajando uma aprendizagem ativa e participada permitindo uma partilha de experiências numa perspetiva local, regional e nacional. Componente prática com base na seguinte metodologia: Aprendizagem colaborativa através da análise SWOT em cada patamar da Estrutura, partilha de conclusões e compromissos com os Regulamentos de Funcionamento do Projeto CFDDE.

Avaliação

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório). Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

questionário online a preencher pelos formandos.

Bibliografia

-


Observações

Formador: Rui Miguel da Conceição Carvalho LICENCIATURA EM: Educação Física e Desporto MESTRADO EM: Gestão da Formação Desportiva

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 22-11-2022 (Terça-feira) 11:30 - 13:00 1:30 Presencial
2 22-11-2022 (Terça-feira) 14:30 - 19:00 4:30 Presencial

Ref. 1251 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD4

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 23-10-2022

Fim: 23-10-2022

Regime: Presencial

Local: Biblioteca Municipal de Lagos - Júlio Dantas

Formador

António Adérito Borges Lopes

Rúben Nataniel Candeias dos Santos

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Biblioteca Municipal de Lagos – Júlio Dantas / CML em parceria com o Centro de Formação Dr. Rui Grácio.

Razões

Esta iniciativa da Biblioteca Municipal de Lagos / Câmara Municipal de Lagos, em parceria com o Centro de Formação Dr. Rui Grácio, visa dinamizar um conjunto de estratégias para a promoção da interpretação (teatro) e da leitura expressiva. Os professores sentem necessidade de formação na área da expressão dramática, em especial na expressão corporal, voz, encenação e interpretação. Assim, esta ação de formação contribui para um upgrade da prática pedagógica dos professores que procuram novas ferramentas de expressão e comunicação, para complementarem o seu exercício profissional.

Objetivos

Esta oficina tem um propósito de Arte pela Educação, uma pedagogia que funciona, antes de mais, como uma ponte entre a arte e o ensino. A experiência de parceria entre docentes e profissionais do espetáculo procura como objetivo maior uma interligação entre o Teatro e a Educação, uma aproximação dos docentes a um ágil conhecimento das práticas teatrais. Honra-se que o objetivo maior da Escola é o desenvolvimento pessoal e, neste sentido, a Oficina de Interpretação funciona como uma sensibilização às práticas artísticas, em particular ao Teatro, numa linha de progressão que privilegia junto dos formandos - e depois junto dos seus alunos - a expressão, a comunicação, a sensibilidade, a experimentação e a aprendizagem mais profunda do mundo e das relações humanas, onde a Arte é o meio privilegiado para um ideal pedagógico e humano.

Conteúdos

Os conteúdos selecionados para esta ação de formação são excertos das obras de Gil Vicente, tais como Auto da Barca do Inferno (1516), Auto da Índia (1509), Farsa de Inês Pereira (1523) e Velho da Horta (1512).

Metodologias

A ação de formação constrói-se através de uma metodologia pedagógica e artística onde os elementos-base de trabalho serão a dinamização da leitura. A formação será primordialmente focada na construção da personagem, com exercícios e uma análise dramatúrgica, cujo resultado se apresenta num exercício de interpretação dos formandos de vários textos selecionados da obra de Gil Vicente.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante um questionário online, obrigatório, a preencher pelos formandos.

Bibliografia

Gil Vicente. Auto da Barca do Inferno (1516), Auto da Índia (1509), Farsa de Inês Pereira (1523) e Velho da Horta (1512).


Observações

Síntese do CV dos Formadores: Adérito Lopes Mestre em Teatro / Artes Performativas, com especialização em Interpretação – Escola Superior de Teatro e Cinema – IPL – Instituto Politécnico de Lisboa. Doutor em Comunicação, Cultura e Artes, com especialização em Teatro. Iniciou o seu percurso como ator no Grupo de Teatro Independente O Palmo e Meio, em Campolide (Lisboa), ao mesmo tempo que frequentava a Oficina/Atelier: Espaços e Expressões na Comuna – Teatro de Pesquisa. Realizou formações, entre outros, com Águeda Sena, Alfredo Brissos, Filipe Crawford, Guillermo Heras, João Mota, Natália Luíza e Vladislav Pazi. Estreia-se como profissional, em 2001, no TEC – Teatro Experimental de Cascais, numa coprodução com o Teatro da Garagem, em Tríptico TEC de Carlos J. Pessoa. Trabalhou no teatro sob a direção de nomes, como: Águeda Sena; Carlos Avilez; Carlos J. Pessoa; Castro Guedes; Fernando Jorge Lopes; Filipe La Féria; Guillermo Heras; Hélder Mateus da Costa; João Lourenço; Joaquim Benite; José Martins; Maria do Céu Guerra; Paula Sousa, Rita Lello e Rui Luís Brás. Finalista da 1.ª edição do Projeto Novos Atores, no âmbito do Ciclo Novos x9, em 2006, promovido pela EGEAC, E.E.M./São Luiz Teatro Municipal, Jorge Salavisa. Prémio Especial do Júri FITA 2014 – Maria do Céu Guerra, Adérito Lopes e o grupo A Barraca, pela montagem de Menino de sua Avó. FITA- Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis. Rio de Janeiro, Brasil. Professor Coordenador do curso de Interpretação - Ator/Atriz do IDS - Escola Profissional, em Lisboa, e ator residente no grupo A Barraca,desde 2008. Ruben Garcia Possui o Curso de Formação de Atores – ACT - Escola de Atores Integrou como ator e encenador o T.E.L./Teatro Experimental de Lagos. Tem uma presença assídua como ator no teatro e no cinema nacional e internacional. Em 2021 foi distinguido com voto de congratulação e louvor pelo Município de Lagos, pela sua atividade como ator. Trabalhou no teatro sob a direção de nomes, como Bruno Cochat; Filipe La Féria; Hélder Mateus da Costa; Joana Furtado Alma; Juvenal Garcês; Maria do Céu Guerra; Norberto Barroca; Paulus Manker (Los Angeles); Rita Lello; entre outros. Ator residente no grupo A Barraca desde 2007. Em cinema foi dirigido, entre outros, por Ana Rocha de Sousa; Aurélio Vasquez; Carlos Ruiz Carmona; Dominik Lukas; Harald Sicheritz; Jeanne Waltz; João Teixeira; NJ Silva; Nuno Dias; Paulus Manquer; Rui Filipe Torres; Rita Nunes; Thom Eberhardt; Tiago Pimentel. Pela sua interpretação no filme Listen (2020), de Ana Rocha de Sousa, foi nomeado para o Prémio Orizzonti para Melhor Ator no Festival de Cinema de Veneza 2020, e para os Prémios Quinto Canal, Portugal, para Melhor Actor de Cinema 2020. Nomeado ainda para os prémios Sophia 2021 da Academia Nacional de Cinema e para os Globos de Ouro da SIC.

Financiado pela Câmara Municipal de Lagos / Biblioteca Municipal

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 23-10-2022 (Domingo) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 23-10-2022 (Domingo) 15:00 - 18:00 3:00 Presencial

Ref. 1221 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD3

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 18-10-2022

Fim: 18-10-2022

Regime: Presencial

Local: Centro Cultural de Lagos

Formador

Carlos Alberto Ferreira Neto

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

CPCJ Lagos, em parceria com a Câmara Municipal de Lagos e com o Centro de Formação Dr. Rui Grácio.

Razões

É necessário refletir sobre o modelo educativo e sobre os hábitos e padrões de comportamento das crianças e jovens, nomeadamente os períodos de tempo e espaços de jogo e recreio.

Objetivos

Sensibilizar os intervenientes para a necessidade de alterar hábitos e comportamentos das famílias e escolas no sentido de fomentar hábitos de vida mais ativos das crianças e jovens.

Conteúdos

A qualidade de vida das crianças e jovens; correlação entre brincar e aprender; correlação entre sedentarismo e doenças respiratórias, cardiovasculares e diabetes; novas políticas públicas para a comunidade escolas e famílias.

Metodologias

Componente teórica com base na seguinte estratégia: formação em formato de palestra moderada por especialista da área de conhecimento em questão Componente prática com base na seguinte metodologia: Momento dedicado a discussão e perguntas e respostas

Avaliação

Não se aplica a Comissários das CPCJ’s, professores, educadores, técnicos de intervenção psicossocial e técnicos superiores das autarquias locais e membros dos órgãos executivos e deliberativos.

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório). Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).


Observações

O seminário é aberto a todo o Pessoal não Docente, Pessoal Técnico, Educativo e Especializado envolvido na Educação de crianças e jovens; As famílias e cidadãos em geral também serão convidadas a participar neste seminário. Para Professores: Certificação de 3 horas na Dimensão Científica e Pedagógica de todos os grupos de docência, de todos os ciclos de ensino.

Formador: Prof. Doutor Carlos Neto, Prof. Catedrático da Universidade de Lisboa. Palestra reconhecida pelo Centro de Formação Dr. Rui Grácio como ação de formação de curta duração (Despacho Nº 5741/2015, de 29 de Maio), com 3 horas na Dimensão Científica e Pedagógica de todos os grupos de docência.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-10-2022 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

Ref. 12414.1 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117176/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 14-10-2022

Fim: 22-10-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária Júlio Dantas -Lagos- e Marina de Portimão.

Formador

Cândida Rocha Pereira

Luís Brito

Destinatários

Professores de Educação Física (grupos 260, 620) e de Educação Especial (910, 920, 930)

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Física (grupos 260, 620) e de Educação Especial (910, 920, 930). Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Física (grupos 260, 620) e de Educação Especial (910, 920, 930).

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e Associação Teia D'Impulsos

Razões

Atualmente, nas escolas, estão inseridas muitas crianças e jovens com necessidades educativas específicas. Estas crianças e jovens aprendem com maior facilidade quando são desenvolvidas atividades em contextos práticos. Aliar o desporto à aprendizagem é um benefício significativo para estes alunos. Vários autores, entre os quais MONTEIRO, J. R. (2012), em "O contributo do Desporto Adaptado para a Integração Social" e Saraiva, J. P. (2013), em "Desporto Adaptado em Portugal: do conceito à prática.", evidenciam diversas vantagens obtidas a partir da prática desportiva por parte de alunos com necessidades educativas específicas, independentemente de qualquer nível de prática desportiva, seja por lazer ou competição. Para além disso, após um período de confinamento, com impacto significativamente negativo no desenvolvimento destas crianças, é importante devolver-lhe a normalidade, proporcionar-lhes experiências e interação em diferentes contextos, podendo o desporto adaptado ser um veículo para desenvolver diversas competências pessoais e sociais. Neste contexto, a formação dos professores e outros profissionais que interagem com estas crianças é crucial, numa perspetiva de educação inclusiva para o desenvolvimento educativo.

Objetivos

A formação tem como objetivos principais adquirir conhecimentos para uma abordagem mais adequada junto da população com necessidades educativas específicas. Assim pretendemos: - Capacitar professores, auxiliares e técnicos que intervêm com crianças e jovens com necessidades educativas específicas; - Dotar os intervenientes de conhecimentos e técnicas que elevam e diminuem os riscos para as pessoas com deficiência, durante a atividades desportiva com enfoque na Vela Adaptada; - Estimular aos desenvolvimentos de parcerias com entidades públicas e privadas da região do Algarve, potenciando o desenvolvimento de desporto adaptado; - Reconhecer a importância de realização de atividades fora do contexto de sala de aula para crianças com necessidades educativas específicas.

Conteúdos

Abordagem Clinica e Funcionalidade na atividade desportiva adaptada. Conteúdos: - Condições mais frequentes de causa de grande incapacidade permanente em crianças e jovens e possíveis quadros funcionais; - Cuidados específicos para cada diagnóstico clínico; - Estratégias especificas para cada diagnóstico clínico; - Importância do desporto como ferramenta terapêutica; - Transferências - postura, segurança e conforto; - Autonomia e participação ativa nas atividades desportivas; - Abordagem do Psicólogo na Atividade Física Conteúdos: - O papel das emoções e comportamentos nos participantes e outros agentes envolvidos na prática desportiva, exercício e atividade física adaptada, como estratégia de promoção da saúde, bem-estar e qualidade de vida; - O controlo emocional, autodomínio, o conhecimento de si, como fatores significativos para o desempenho; - Motivação; - Dinâmicas de grupo; atenção / concentração; formulação de objetivos; assertividade; espírito de equipa; - Competências emocionais e otimização de Competências (pessoais e sociais); - Abordagem do Técnico de Desporto na Atividade Física Adaptada Conteúdos: - Especificidades das modalidades; - Exemplos de boas-praticas no desporto adaptado; - Barreiras arquitetónicas e a sua influência na prática desportiva adaptada; - O desporto na qualidade de vida das pessoas com deficiência.

Metodologias

O curso terá a duração de 15 horas presenciais e três etapas fundamentais: 1. Uma componente teórico-prática, onde serão explorados os conteúdos e a orientação para elaboração de um projeto / implementação de metodologias e/ou materiais pedagógicos. (9 horas presenciais). Metodologia: exposição; demonstração; discussão orientada; aprendizagem colaborativa; prática supervisionada; reflexão. Recursos didáticos: Videoprojector, computador . 2. Uma componente prática de vela adaptada, na qual serão explorados em contexto prático os conteúdos abordados. (4 horas presenciais). Recursos didáticos: este módulo será prático, utilizando materiais disponíveis da Associação de Vela, como barcos, velas, cabos. 3. Sessão final: apresentação dos relatórios pelos formandos e avaliação final do curso. (2 horas presenciais).

Avaliação

Os participantes procedem à apresentação de um relatório crítico sobre o trabalho desenvolvido e sua importância na motivação, na melhoria das aprendizagens e no desenvolvimento global dos alunos e aborda, especificamente, a importância de aliar as aprendizagens através do desporto, em contexto prático, à melhoria das aprendizagens dos alunos. Avaliação final do formando - Ponderações: 50% participação nas sessões e 50% para os trabalhos desenvolvidos e relatório final do formando. Para a avaliação final individual de cada formando será usada uma escala quantitativa de 1 a 10 valores: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores. A classificação final e as horas de formação para a progressão na carreira docente constarão no certificado final a emitir pelo Centro de Formação.']

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

MONTEIRO, J. R. (2012). O contributo do Desporto Adaptado para a Integração Social. ISMT.Dissertações de Mestrado em Serviço Social . http://repositorio.ismt.pt/jspui/handle/123456789/169Santos JP, Almeida M, Oliveira C, Fernandes R, Cruz-Santos A. (2013). Desporto Adaptado em Portugal: do conceito à prática. Revista Brasileira Atividade Física e Saúde. Disponível em: https://rbafs.emnuvens.com.br/RBAFS/article/view/2586


Observações

Inês Reis colaborará com a equipa de formadores, na qualidade de Terapeuta Ocupacional.

Colaboração na formação / equipa de formadores: Inês Reis, Terapeuta Ocupacional, Técnica especializada de apoio à formação. Cartaz: Design de Violante Romão.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 14-10-2022 (Sexta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 15-10-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
3 22-10-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
4 22-10-2022 (Sábado) 14:30 - 18:30 4:00 Presencial

Ref. 1011.4 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117345/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 11-10-2022

Fim: 06-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Júlio Dantas e Moodle do CFAE Rui Grácio

Formador

Olavo Daniel Cristina Rodrigues

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e DGE - Plano de Transição Digital na Educação / Plano de Capacitação Digital de Docentes

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Metodologias

A oficina terá a duração de 25 horas e três etapas fundamentais: 1. Sessão presencial conjunta, com explicação do enquadramento da ação no contexto educacional atual, o envolvimento profissional e experiência na utilização de plataformas de trabalho colaborativo. Serão abordados os documentos norteadores do PTD e explorados os conteúdos teórico-práticos e a orientação para elaboração dum projeto, implementação de metodologias e materiais pedagógicos. (3 horas) 2. Sessões de trabalho, em pequeno e grande grupo, através duma plataformas de videoconferência, destinadas à reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; realização de atividades práticas de partilha suportadas por um ambiente colaborativo; exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento da CD docente e dos alunos; reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Todas as atividades serão partilhadas com todos. (18 horas) 3. Apresentação e discussão, na última sessão presencial conjunta, do projeto, metodologias e materiais implementados na prática pedagógica. (4 horas) A componente de trabalho autónomo terá a duração de 25 horas: • Implementação de projetos, metodologias na sala de aula, construção de materiais pedagógicos e preparação do projeto a apresentar na última sessão; • Elaboração do relatório crítico: autoavaliação do trabalho realizado e sua importância no desenvolvimento dos alunos e na melhoria das aprendizagens.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o "Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua". A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education - guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Observações

Despacho n.º 2053/2021 - Releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente, até ao final do Plano de Transição Digital na Educação / Plano de Capacitação Digital de Docentes, que se prevê em 31/07/2023 .

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 18-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
4 08-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona
5 15-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 22-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 28-11-2022 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 06-12-2022 (Terça-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Presencial

Ref. 1281 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD5

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 10-10-2022

Fim: 25-10-2022

Regime: e-learning

Local: Plataforma Moodle do CFAE Dr. Rui Grácio.

Formador

Teresa Paula da Silva Fernandes

Destinatários

Professores dos grupos 110, 230 e 500

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e Equipa Khan Academy, Fundação Altice.

Razões

A atualização das práticas pedagógicas em ambiente de sala de aula (contexto presencial e/ou a distância) e no trabalho a desenvolver com e pelos alunos pressupõe um conhecimento aprofundado, pelos professores, das características das ferramentas disponíveis para o ensino e aprendizagem. A plataforma Khan Academy (KA) disponibiliza recursos digitais online para a aprendizagem da Matemática, direcionados aos ensinos básico e secundário, que se enquadram nos documentos curriculares em vigor e têm vindo a ser progressivamente enriquecidos e atualizados. Importa não só conhecer esses recursos mas também analisar as possibilidades proporcionadas através da sua utilização e promover estratégias e metodologias adequadas aos alunos e às possibilidades de trabalho autónomo e em grupo que a KA permite. As funcionalidades da plataforma permitem um acompanhamento presencial e a distância do trabalho desenvolvido pelos alunos, o que proporciona aos professores novas ferramentas de planeamento, monitorização e avaliação das atividades. Além de ser uma plataforma com características de jogo, a sua utilização regular e sistemática poderá contribuir para a melhoria da motivação e empenhamento dos alunos na aprendizagem da Matemática, assim como para a melhoria dos seus resultados escolares. Esta ACD pretende apresentar aos docentes as características dos recursos digitais KA, as possibilidades de utilização dos mesmos e criar as condições para que possam experimentar a plataforma e preparar a sua utilização em contexto de sala de aula.

Objetivos

• Apresentar e explorar os recursos digitais da plataforma Khan Academy disponíveis para a disciplina de Matemática; • Introduzir diferentes formas de utilização dos recursos educativos da Khan Academy; • Refletir sobre as práticas e metodologias de utilização dos recursos Khan Academy na aprendizagem da Matemática em contexto de sala de aula.

Conteúdos

Sessão 1: • Introdução: O que é a Khan Academy; Khan Academy em Portugal; Plataforma Khan Academy; • Perfil de Aluno: Registar-se como aluno; Ferramentas da plataforma. • Perfil de Professor: Registar-se como Professor; Ferramentas da plataforma; Sessão 2: • Como utilizar os recursos da Khan Academy: sugestões de Metodologias de utilização; • Reflexão sobre estratégias e metodologias de utilização dos recursos digitais Khan Academy; • Esclarecimento de dúvidas.

Metodologias

A ação assumirá essencialmente um formato teórico-prático. Na sessão 1, à medida que é apresentada a plataforma, os formandos vão explorar as diversas ferramentas, sendo que primeiramente os formandos assumirão o papel de alunos, de forma a conhecer a plataforma do ponto de vista do aluno (perfil de aluno KA) e na segunda parte da sessão exploram as ferramentas do perfil de professor. Na sessão 2, pretende-se fomentar a discussão sobre as práticas e metodologias de utilização dos recursos Khan Academy na aprendizagem da Matemática em contexto de sala de aula.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).


Observações

Certificação de 3 horas na Dimensão Científica e Pedagógica de todos os grupos de docência, de todos os ciclos de ensino. Formadora: Teresa Fernandes , Mestre em Pedagogia do e-Learning; Conselheira científica e pedagógica do projeto Khan Academy em Portugal, na Fundação Altice.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-10-2022 (Segunda-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Online síncrona
2 25-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 18:30 1:00 Online síncrona

Ref. 1261 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD2

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-10-2022

Fim: 08-10-2022

Regime: Presencial

Local: Centro Cultural de Lagos

Formador

Cristina Maria Teodoro Belém

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Ser - Cooperativa de Solidariedade Social, Câmara Municipal de Lagos e Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Razões

Este seminário é uma iniciativa da SER - Cooperativa de Solidariedade Social, em parceria com a Câmara Municipal de Lagos e o Centro de Formação Dr. Rui Grácio. Visa promover a articulação entre Escola e Família e contribuir para a reflexão sobre o desenvolvimento socioemocional das crianças e jovens. As inscrições de pessoal não docente e de todos os outros interessados, em geral, mas incluindo também os docentes, devem ser feitas no site da SER - Cooperativa de Solidariedade Social, no seguinte link: https://www.eventbrite.com/e/bilhetes-seminario-familia-lugar-de-afetos-412721239337

Objetivos

- Promover a reflexão em torno do conceito da Família como espaço de afetos para o desenvolvimento socioemocional da criança; - Construir pontes entre a Escola e a Família, permitindo vínculos para o desenvolvimento pessoal e social dos alunos.

Conteúdos

08h30 | Receção aos convidados 09h00 > 09h30 SESSÃO DE ABERTURA Hugo Pereira – Presidente da Câmara Municipal de Lagos Sílvia Oliveira – Administradora da SER e Presidente Associação de Reiki Crianças e Jovens João Magalhães – Gestor da SER e Presidente da Associação Portuguesa de Reiki 09h30 > 10h30 | I PAINEL: FAMÍLIA E ESCOLA – CONSTRUÇÃO DE VÍNCULOS Moderadora: Ana Fazenda “Como os Estilos Educativos Influenciam o Desenvolvimento da Criança” Sara Coelho – Psicóloga e Vereadora da Câmara Municipal de Lagos “APRENDER A SER - A importância de ensinar a Gerir as Emoções” Sílvia Oliveira – Administradora da SER Cooperativa de Solidariedade Social; Presidente ARCJ “EU no coração do outro “ Emília Santos -Educadora de Infância Agrupamento Júlio Dantas 10h30 > 11h00 | Coffee Break 11h00 > 12h30 | II PAINEL: FAMÍLIA – ÁRVORE DOS AFETOS Moderadora: Marta Silva “Família: um caminho desassossegado” Vera Silva – Pediatra no Espaço Médico Pediátrico do Barreiro “Sinto o que conto. Contos que sinto” Maria Vilela George – Psicóloga; Autora do livro “O Laço que Virou Abraço”; Idealizadora do Método de Lumen Educacional; EUA “Primeiros Anos A Nossa Prioridade” Maria João Freitas – Assistente Social CHUA - Portimão 12h30 > 14h30 | ALMOÇO LIVRE 14h30 > 17h00 | III PAINEL: EmocionalMente Moderadora: Maria João Freitas “As experiências adversas na Infância e o impacto na Saúde Física, Mental e Emocional do Adulto” Telma Abrahão – Biomédica; Especialista em Neurociências Comportamental Infantil; Criadora da Educação Neuroconsciente; Autora do livro “Pais que Evoluem”; Fundadora da Positive Parenting Education; EUA “Mãe, estou aqui. – Um caso de Polidipsia” Cristina Marçal Delgado – Pediatra de Neurodesenvolvimento CHUA Portimão; Oficina dos Mimos – Albufeira “Reiki e o impacte na Saúde Mental do Adulto” João Magalhães – Gestor da SER Cooperativa de Solidariedade Social; Presidente da APR Momento lúdico 17h15 | SESSÃO DE ENCERRAMENTO

Metodologias

Exposição de conteúdos com recurso às TIC, ao diálogo e ao debate.

Avaliação

Os participantes procedem a uma breve reflexão escrita online sobre a formação desenvolvida e a sua importância no seu desenvolvimento pessoal e profissional (obrigatória).

Modelo

A ação será avaliada mediante questionário online a preencher pelos formandos (obrigatório).


Observações

O seminário é aberto a todo o Pessoal não Docente, Pessoal Técnico, Educativo e Especializado envolvido na Educação de crianças e jovens; As famílias e cidadãos em geral também serão convidadas a participar neste seminário. Para os professores: Certificação de 6 horas na Dimensão Científica e Pedagógica de todos os grupos de docência, de todos os ciclos de ensino.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-10-2022 (Sábado) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 08-10-2022 (Sábado) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 1022.11 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117442/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 27-09-2022

Fim: 06-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária Júlio Dantas e Moodle do CFAE Rui Grácio

Formador

Pedro Miguel da Silva Rocha

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e DGE - Plano de Transição Digital na Educação

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. -Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digita - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

A oficina terá a duração de 25 horas presenciais / online síncronas e 25 horas de trabalho autónomo. As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o "Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua". A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htmComissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=ENLucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora.Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdfMinistério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME


Observações

Despacho n.º 2053/2021 - Releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente, até ao final do Plano de Transição Digital na Educação / Plano de Capacitação Digital de Docentes, que se prevê em 31/07/2023 .

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 27-09-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 11-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 18-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 25-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 08-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Presencial
6 15-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 22-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona
8 06-12-2022 (Terça-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Presencial

Ref. 90T1 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD1

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 08-06-2022

Fim: 29-06-2022

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom de Enigmas à Solta

Formador

Vitor Filipe Neto Guerreiro

Mafalda Cristina Gomes Sousa Guerreiro

Destinatários

Educadores de Infância; Professores de todos os grupos de recrutamento;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio e ENIGMASÀSOLTA-LDA

Razões

xxxxxxxxx

Objetivos

xxxxxxxxxx

Conteúdos

xxxxxxxxxx

Metodologias

xxxxxxxxxx

Avaliação

xxxxxxxxxx

Modelo

xxxxxxxxxx

Bibliografia

xxxxxxxxxx

Anexo(s)


Observações

observações ação xxxxxxxxxx

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 08-06-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Online síncrona
2 22-06-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Online síncrona
3 29-06-2022 (Quarta-feira) 15:00 - 17:00 2:00 Online síncrona

Ref. 1131 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114512/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-04-2022

Fim: 23-11-2022

Regime: e-learning

Local: Moodle do CFAE Rui Grácio

Formador

António Vidal Santos

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Dr. Rui Grácio

Razões

No âmbito do Plano de Transição Digital, e tendo em conta que o desenvolvimento da competência digital das organizações educativas constitui uma dimensão fundamental na qualidade do trabalho de ensino e aprendizagem realizado nas escolas, cada Escola foi convidada a elaborar o seu PADDE (Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital), que está agora em vias de concretização. No caminho para a plena execução do PADDE, importa criar na Escola uma estrutura de acompanhamento, monitorização e avaliação que aprecie com regularidade a conformidade deste Plano com os objetivos traçados, eventuais desvios face ao planeado, os resultados alcançados e os impactos no contexto escolar, produzindo informação pertinente de apoio às decisões da equipa de gestão, bem como de comunicação a todas as partes envolvidas. Esta monitorização e avaliação, emergindo do próprio PADDE, ganhará em qualidade e rigor se for sustentada num processo formativo que faculte aos docentes dela encarregados a oportunidade de realizarem uma reflexão inicial consistente sobre monitorização e avaliação de projetos; de trabalharem sobre as linhas orientadoras previstas nos PADDE, definindo planos de monitorização contextualizados e adaptados à realidade de cada unidade orgânica; de concretizarem percursos de monitorização e avaliação devidamente acompanhados, sólidos e partilhados. Com esta formação, cremos que será possível potenciar a atuação de todos os docentes encarregados da monitorização e avaliação do PADDE.

Objetivos

Com esta formação, pretende-se apoiar as Escolas na implementação dos seus PADDE, através da promoção de estratégias de acompanhamento, monitorização e avaliação da sua plena concretização. São objetivos específicos deste Curso: - refletir sobre processos de acompanhamento, monitorização e avaliação de projetos, percebendo a importância da sua implementação, os princípios fundamentais e os conceitos que lhes subjazem; - compreender a especificidade de um Plano como o PADDE, bem como aspetos pertinentes a acompanhar e monitorizar na sua implementação, por forma a maximizar o seu efeito no desenvolvimento digital da Escola; - refletir periodicamente, em contexto de formação, sobre o processo de monitorização e avaliação de cada PADDE, numa lógica de apoio sustentado, partilha de práticas, confirmação ou redefinição de estratégias e metodologias; - definir formas de apresentação da informação produzida adequadas aos destinatários e às finalidades, de maneira a potenciar a sua utilidade.

Conteúdos

- Breve enquadramento legal, conceptual e metodológico - o PTD e o PADDE (1 hora); - Importância do acompanhamento, monitorização e avaliação de projetos em geral e do PADDE em particular; princípios básicos subjacentes a um processo de monitorização e avaliação (1 hora); - Conceitos-chave na monitorização e avaliação de projetos e estabelecimento de um vocabulário comum; distinção entre monitorização e avaliação (1 hora); - Conjugação entre objetivos e métodos de avaliação/monitorização (1 hora); - Reflexão sobre a especificidade de um Plano como o PADDE, bem como aspetos pertinentes a acompanhar e monitorizar na sua implementação: cronograma de concretização / tarefas / recursos /custos / estratégias de comunicação / envolvimento das partes / riscos (2 horas); -Análise reflexiva das metodologias de implementação, monitorização e avaliação previstas no PADDE de cada uma das Escolas/Agrupamentos (2 horas); - Definição do plano de monitorização a desenvolver em concreto, a partir das linhas orientadoras registadas nos PADDE: estratégias / intervenientes / informação a recolher / formas de recolha, organização, tratamento e apresentação de dados (4 horas); - Identificação/ definição de indicadores: de processo / de resultado / de impacto (4 horas); - Apoio/ acompanhamento da implementação do processo de monitorização e avaliação do PADDE, em cada uma das Escolas/Agrupamentos: reflexão sobre o processo; partilha de práticas; confirmação ou redefinição de estratégias (se necessário) (5 horas); - Possíveis forma/s de apresentação da informação produzida em resultado do processo de monitorização: relatório / portefólio / outra(s); considerações acerca da utilidade das informações, sua adequação aos destinatários e finalidades e princípios éticos a respeitar (2 horas; - Apreciação crítica sobre possíveis contributos do processo de monitorização para a própria concretização do PADDE (1 hora); - Avaliação do trabalho realizado e de toda a dinâmica da formação (1 hora).

Metodologias

As sessões assumirão um cariz essencialmente teórico-prático, privilegiando-se os métodos: expositivo, demonstrativo, interrogativo e ativo. Haverá lugar à exposição de conteúdos, à reflexão, ao debate e à partilha entre os participantes, à análise e discussão de situações concretas, à consolidação de procedimentos e à preparação da intervenção a concretizar em cada Escola, em sede de acompanhamento, monitorização e avaliação do respetivo PADDE.

Avaliação

- Obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais. - A avaliação dos formandos será contínua e participada por todos os intervenientes e assentará na participação nas dinâmicas das sessões presenciais, bem como na elaboração de um trabalho individual/documento final de reflexão crítica individual sobre a experiência pessoal derivada da participação na Ação e implicações na prática letiva, de acordo com os critérios previamente estabelecidos ao nível do Centro de Formação, com a legislação em vigor e com as orientações do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua; - A avaliação dos formandos é quantitativa e expressa numa escala de 1 a 10, com a correspondente menção qualitativa, conforme referencial constante da legislação em vigor e que a seguir se explicita: Excelente, de 9 a 10 valores; Muito Bom, de 8 a 8,9 valores; Bom, de 6,5 a 7,9 valores; Regular, de 5 a 6,4 valores; Insuficiente, de 1 a 4,9 valores.

Modelo

A ação será avaliada pelos formandos através do preenchimento de uma ficha online. O formador elaborará um relatório de avaliação do impacto da formação.

Bibliografia

Asian Forest Cooperation Organization (2020) Guidelines for Project Monitoring and Evaluation. Disponível em: http://afocosec.org/wp-content/uploads/2021/01/G-2-20R-Project-M_E-GuidelinesEffective-on-20201127.pdfGuia Pembok – Sexta Edição (2017). Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos. Project Management Institute, Inc.Gabinete de Avaliação e Auditoria - Camões, Instituto da Cooperação e da Língua - Ministério dos Negócios Estrangeiros (2014). Guia de Avaliação. Disponível em: https://www.instituto-camoes.pt/images/transparencia/Guia_Avalia%C3%A7%C3%A3o.pdfA step by step guide to Monitoring and Evaluation (2014). Project Monitoring and Evaluation for Sustainable Communities’. Higher Education Innovation Fund - University of Oxford. Disponível em: https://transitionnetwork.org/wp-content/uploads/2016/09/Monitoring-and-evaluation-guide.pdfCANDIDO, Roberto et al. (2012). Gerenciamento de projetos. Curitiba: Aymará Educação. Disponível em: https://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/2061/1/gerenciamentoprojetos.pdf


Observações

Despacho n.º 2053/2021 - Releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente, até ao final do Plano de Transição Digital na Educação / Plano de Capacitação Digital de Docentes, que se prevê em 31.07/2023 .

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-04-2022 (Terça-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
2 19-04-2022 (Terça-feira) 20:30 - 21:30 1:00 Online assíncrona
3 04-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
4 04-05-2022 (Quarta-feira) 20:30 - 21:30 1:00 Online assíncrona
5 18-05-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
6 18-05-2022 (Quarta-feira) 20:30 - 21:30 1:00 Online assíncrona
7 01-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
8 01-06-2022 (Quarta-feira) 20:30 - 21:30 1:00 Online assíncrona
9 15-06-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
10 15-06-2022 (Quarta-feira) 20:30 - 21:30 1:00 Online assíncrona
11 21-09-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
12 21-09-2022 (Quarta-feira) 20:30 - 21:30 1:00 Online assíncrona
13 02-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
14 02-11-2022 (Quarta-feira) 20:30 - 21:30 1:00 Online assíncrona
15 23-11-2022 (Quarta-feira) 16:00 - 20:00 4:00 Presencial

Não existem ações.